Mensagem

O poncho dos milagres

O-poncho-dos-milagres

Em agosto de 2007, foi inaugurada a Catedral da Universal de Guayaquil, cidade mais populosa do Equador.

Na ocasião, milhares de pessoas se reuniram para o grande evento e receberam pela primeira vez o bispo Edir Macedo em visita ao país. No término da inauguração, os equatorianos presentearam o bispo com um “poncho” tradicional em nome de uma das comunidades indígenas do Equador. Para eles, vestir o poncho é uma honra, como é para os homens modernos vestir terno e gravata em uma ocasião solene. O poncho também é de uso especial para líderes e pessoas reconhecidas na sociedade indígena, que compõe 35% da população do Equador.

Quase nove anos depois, no último domingo (7), o bispo Renato Cardoso, em visita missionária ao país, realizou uma reunião especial na Catedral de Guayaquil. De maneira inesperada, o bispo nos surpreendeu, subindo ao Altar com o mesmo poncho que o bispo Macedo tinha recebido nove anos atrás no mesmo local. E explicou ao povo: “Quando o bispo Macedo soube que eu estava para visitar o Equador, me pediu para trazer comigo este poncho que recebeu de vocês para abençoá-los. Sou testemunha de que, devido às suas constantes viagens e estadia irregular, o bispo não costuma carregar presentes com ele. Mas, por alguma razão, carinhosamente guardou este poncho que recebeu de vocês por nove anos… Imediatamente, me veio à mente esta passagem:

“E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam.

Atos 19.11,12

“Claramente, o bispo Macedo está devolvendo ao povo do Equador a honra recebida, agora em forma de bênçãos, que se materializarão na vida de vocês através deste poncho!”

Dito isto, em um ato de fé, o bispo convidou as mais de 3.500 pessoas presentes para tocarem no poncho consagrado, enquanto orações eram ministradas por elas.

Osteoporose e cegueira desaparecem

O senhor Enrique Tomala foi um dos que tocaram no poncho e imediatamente percebeu que algo aconteceu em seu corpo. Ele sofria por mais de 20 anos com fortes dores nos joelhos, além de osteoporose e um problema nos olhos que o impedia de enxergar bem. Pelo poder da fé, Tomala relatou em lágrimas como todas aquelas dores e todos aqueles sintomas desapareceram logo que tocou no poncho. Emocionado, com sua vista recuperada, começou a caminhar sem nenhuma dificuldade diante da multidão.

Dezenas de outras pessoas também testemunharam suas experiências naquele encontro.

Colaborou: Bispo José Luiz

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *