“Durante 20 anos sofri com ataques epiléticos”

Quando logo aos oito anos se começam a enfrentar problemas de saúde, o futuro deixa de se antever como algo cheio de possibilidades

“Durante 20 anos sofri com ataques epiléticos, problema que teve início quando eu tinha apenas oito anos.

Comecei a sofrer com sintomas estranhos e, quando fui ao hospital, mesmo depois de fazer vários exames, não conseguiram detetar a sua origem. Foi, então, que comecei a tomar medicamentos, mas nada me ajudava a melhorar.

Passados cinco anos, os médicos descobriram que sofria de epilepsia e disseram-me que passaria a ser dependente de medicamentos para o resto da vida. Toda esta situação afetou a minha rotina, pois não podia comer, nem beber determinadas coisas.

Para piorar ainda mais a minha vida, entrei no mundo dos vícios, embrenhando-me no álcool, nas noitadas e na pornografia. Bebia tanto que chegava a perder a noção das coisas e a praticar assaltos, acabando por ficar detido três dias.

Tornei-me uma pessoa nervosa e tudo era motivo para briga, tanto dentro como fora de casa, partindo logo para a violência física. Sentia prazer em tudo o que era errado, preferindo ver pornografia do que estar com a minha mulher.

Gastava muito dinheiro nos vícios e podia até faltar comida em casa, mas para os meus amigos havia sempre álcool e drogas. Enfim, era uma pessoa muito influenciável e não tinha qualquer domínio próprio.”

A mudança. “Conheci o Centro de Ajuda da Igreja Universal através de um convite de um amigo. Quando lá entrei pela primeira vez, percebi que existia esperança para a minha vida e que ali podia mudar. Fui bem recebido e orientado. Através da minha perseverança e do uso da minha fé, alcancei a cura e a libertação. Hoje, não tomo mais medicamentos, não sou mais influenciado a fazer coisas erradas e sou eu que influencio os outros para o bem. Agora, tenho paz, sou feliz e realizado!”

Luís Vieira,, CdA Cabo Verde

Fonte: Folha de Portugal