Cura dos males

Durante muitos anos, Manuela viveu uma vida longe de alegrias e sucessos, pois, estava mergulhada numa depressão tão grande que a impedia de imaginar um futuro risonho, a curto, médio ou longo prazo. “A minha vida estava mal, era uma pessoa muito doente e pessimista, estando a viver uma depressão e tendo constantes desejos de suicídio. Problemas estes que provocavam muitas brigas em minha casa”, confessou. Os quais também a impediram de ter forças para exercer o seu papel de mãe: “não fui, durante muito tempo, uma mãe presente e a depressão nervosa fazia com que o meu casamento também não estivesse bem”. E, já sem forças para lutar pela sua relação com o marido e pela sua família, que se desmoronava a cada dia que passava, Manuela teve que procurar ajuda.

UMA PORTA ABERTA
“Vim pela primeira vez ao Centro de Ajuda Espiritual (CdAE) a convite dos meus irmãos e foi dessa forma que me tornei membro”. Foi assim que Manuela aprendeu a viver com fé e, através dos ensinamentos da Bíblia, começou a dar um novo rumo à sua vida. “Dia após dia, sentia-me muito melhor! Parei de tomar comprimidos e comecei a dormir bem à noite, algo que não acontecia há já muito tempo”

No momento em que começou a ver a sua saúde restaurada, uniu todos os esforços para investir de novo na sua vida profi ssional, a qual também já tinha sido demasiado prejudicada. “Deixei de ser uma pessoa nervosa e voltei a trabalhar normalmente. Até essa altura era obrigada a faltar constantemente, por causa da minha saúde frágil. E posso dizer que vi grandes mudanças na minha vida, tanto na saúde como profissionalmente. Fui curada de tudo o que tinha de mal!”.

QUASE 20 ANOS DEPOIS
Desde essa altura até hoje, Manuela nunca deixou de frequentar a Igreja: “já frequento o CdAE há 18 anos e participo sempre nas Fogueiras Santas”. E contou ainda como se sentiu mais próxima de Deus: “Ele falou ao meu coração e pediu-me o meu carro, com apenas cinco anos, como sacrifício. Confi ei n’Ele e entreguei-o no Altar, com o propósito de Ele curar o meu esposo e de o converter. E, de facto, foi o que aconteceu!”.

Depois desse sacrifício, Manuela ficou um ano sem carro, confessando que lhe custou mais do que esperava, o que a levou a preparar um novo desafio: “foi nesse momento que pedia Deus um carro novo, mesmo como eu queria, com zero quilómetros. E, hoje, já realizei o meu sonho, pois, fui ao stand de automóveis e comprei aquele que queria, mesmo do jeito que pedi”. Agora, sente-se uma pessoa extremamente feliz e realizada, sublinhando que “vale mesmo a pena participar na Fogueira Santa”.

MANUELA VARELA – FARO