Curada

“Tinha psoríase, um problema de saúde que, para os médicos, não tem cura. Era uma doença que me provocava feridas, desde a cabeça até aos pés, e muita comichão.

Passava as noites sem dormir e coçava o corpo todo, a ponto de saírem escamas das feridas e sangue.

Tanto os meus ossos como a minha vida familiar foram afetados, até cheguei a ter nojo do meu próprio corpo! As pessoas olhavam para mim e sentiam asco. E muitas não chegavam perto de mim com medo de apanharem a doença.

Este sofrimento durou cinco anos, tendo consultado vários médicos, tomado vários medicamentos e sido sujeita a fototerapia para queimar as células envenenadas que davam origem à doença.

Cheguei, muitas vezes, a desanimar e chorava muito. Isto até tomar uma decisão e uma atitude: comecei a fazer as correntes da saúde, sem nunca esquecer o tratamento médico.

Com muita perseverança, fé e determinação, consegui ficar livre da doença, a qual para os médicos era incurável. Lutei durante cinco anos, e, hoje, estou livre da doença e das suas marcas”.

MANUELA SANTOS – PORTO