Depressiva e desacreditada no amor, tentou o suicídio

CasosReais-MariaIraneide

Depressão, insónias, desejo de suicídio, são alguns dos sintomas apresentados por pessoas que têm sofrido na vida sentimental.

A maioria das pessoas deseja encontrar alguém com quem possa partilhar as suas alegrias, tristezas e, sobretudo, ultrapassar situações que sozinhas seriam incapazes de superar. Porém, nem todas conseguem encarar a vida ao lado de alguém. Este era o caso de Maria Iraneide, que antes de chegar ao Centro de Ajuda (CdA) era uma pessoa depressiva, viciada em drogas, que sofria de insónias, e, por isso, dependia de medicamentos para tentar manter uma vida normal.

“Para além de todos os problemas que enfrentava, sofria de Síndrome de Pânico. Tinha medo de tudo e de todos, via vultos e ouvia vozes, a ponto de ter de estar com a televisão e o rádio ligados, para tentar abafar os sons das vozes”, conta Maria.

Os seus medos e problemas interiores começaram a transparecer, principalmente, nos seus relacionamentos.

“Não conseguia ser feliz na vida sentimental, pois sentia nojo dos homens, achava que nenhum deles era bom, honesto e de caráter o suficiente para mim. Os meus relacionamentos não duravam mais do que três meses. Por todos estes motivos passei a desejar a morte”, acrescenta.

Uma certeza

Maria Iraneide acreditava que grande parte do seu sofrimento devia-se a trabalhos de bruxaria, dos quais a sua família tinha sido vítima.

“Cheguei a tentar o suicídio, entretanto, no dia em que me iria matar, dentro de mim surgiu uma grande vontade de entrar no CdA e pedir perdão a Deus. E foi o que fiz! Desisti de tirar a minha própria vida e fui falar com Deus, e dali veio uma nova oportunidade. Comecei a participar nas reuniões de libertação, e tudo começou a mudar: deixei de precisar de medicamentos, passei a dormir bem e conheci um homem de caráter.

Hoje sou feliz, casei-me e tenho a certeza que ele é a pessoa certa para mim!”, afirma.

Maria Iraneide Sobrinho, Milão, Itália