Duas em uma

“Os médicos diagnosticaram-me dois pólipos no útero e um no ânus, um problema que gerou muitos outros, incluindo a depressão que já tinha antes.

Depois começaram a surgir também dores de cabeça incontroláveis. Fiz muitos tratamentos e estava sob efeito de vários medicamentos, tomava 6 por dia só para as dores e eram 180 por mês.

Alguns médicos chegaram a recomendar que fosse para o IPO, por causa do historial de casos de cancro na minha família.

Quando cheguei à Igreja, comecei logo a fazer as campanhas, toquei no cajado, através da minha irmã, numa sexta-feira e no sábado a seguir comecei a receber respostas.

Como ia fazendo as campanhas, aos poucos, fui obtendo resultados em relação à minha saúde. No entanto, o que eu sentia também a minha irmã começou a sentir, acabando por adoecer.

Nessa altura, tive que começar a ajudá-la. Ela começou a tomar medicação, mas o corpo rejeitou-a e tive que enviar mais dinheiro para começar outro tratamento.

Uns dias depois, toquei no cajado e Deus tocou em mim e nela. Quando ela depois voltou ao médico, ele ficou em estado de choque, pois, a bactéria tinha desaparecido.

Graças a Deus, hoje, também eu estou bem! Não tenho mais sangramentos, fiz um TAC em agosto e não encontraram nada. E a médica pediu mais exames, porque não percebe como é que o problema desapareceu.

Nós gastávamos entre 300 a 400 euros por mês em medicamentos e agora estamos aqui para provar, seja de que forma for, que fomos curadas”.

CARLOS E CASSILENE