“Fui violada, ouvia vozes e via vultos”

Uma história que começa mal, nem sempre tem que ter um final infeliz, na verdade, depende apenas do empenho de cada um…

Paula considerava que a sua vida e ambiente familiar só poderiam ser descritos como completamente destruídos, algo que sempre se deu conta desde muito nova. Ouvia vozes e via vultos desde criança, mas o seu trauma agudizou-se quando foi sexualmente violada quando ainda era jovem. Aos 19 anos engravidou, acreditando que este seria o início de uma existência mais feliz, porém, foi precisamente o oposto, pois foi aí que começou o seu calvário.

“Fui expulsa de casa e o meu companheiro acabou por me trocar por outra mulher. Depois de muitos anos de sofrimento, voltei a casar, mas, devido aos traumas do passado, não conseguia relacionar-me com o meu marido, o que me levou a uma grande depressão, ao ponto de ter tentado por duas vezes o suicídio. Para além de todos estes problemas, o meu filho mais velho começou a sofrer com os mesmos problemas, ou seja, também começou a ver vultos e ouvir vozes. Acabei por procurar ajuda em bruxos, mas não consegui resolver nada, pelo contrário, a situação na nossa vida piorava cada vez mais.”

RECONSTRUÍDA. “Foi através de uma pessoa conhecida que cheguei ao Centro de Ajuda da Igreja Universal. Comecei a frequentar as correntes de libertação e aprendi a usar a fé para solucionar todos os problemas que estávamos a enfrentar. A minha vida começou a mudar, assim como a dos meus filhos. Hoje, passados nove anos, posso dizer que tenho a minha vida completamente transformada! Fui liberta de todos os males, dos traumas e a minha família foi restaurada. Atualmente, somos uma família feliz e muito abençoada.”

Paula Miranda, CdA Rio Tinto

Fonte: Folha de Portugal