Maria do Carmo

mariadocarmo_cdaPor vezes, a vida dá voltas que ninguém espera e, de um momento para o outro, temos que nos reajustar e ficamos sem saber o que fazer.

Foi o que aconteceu a Maria do Carmo, quando viu o seu filho ficar numa cadeira de rodas…

Antes de chegar ao Centro de Ajuda (CdA), a minha vida estava um caos e era completamente vazia. Era uma pessoa muito nervosa e tinha vários problemas que me levaram ao fundo do poço. Separei-me do meu marido depois de 15 anos juntos e de três filhos em comum e sofri muito.

Vivia em Cabo Verde mas agarrei nos meus filhos, sendo que o mais velho tinha apenas 12 anos, e vim para Portugal para começar do zero, sem nada. Nos primeiros tempos foi tudo muito difícil e tive que viver de favor em casa da minha irmã.

Aos 19 anos, o meu filho mais velho teve um problema de saúde que o deixou numa cadeira de rodas, de repente. Esteve em coma três meses, aos quais se seguiram vários meses de tratamentos e fisioterapia. Nessa altura comecei a deixar-me ir abaixo outra vez e voltei a ser uma pessoa muito nervosa.

Foi uma grande luta e tive muito apoio dos membros do CdA, que já frequentava desde os tempos de Cabo Verde. Uma obreira ficava no hospital com o meu filho quando eu tinha que ir trabalhar e os pastores iam lá orar por ele. Foi uma grande ajuda!”, conta Maria do Carmo.

Ter um compromisso
“Eu frequentava o CdA mas não tinha um compromisso com Deus, ia às reuniões mas não estava lá a 100 por cento. Nas minhas orações pedia muito que o meu filho acordasse do coma e ele acordou! Nessa altura, firmei-me na Fé e entreguei-me totalmente e consegui que ele se entregasse também, uma vez que o meu filho não acreditava em Jesus, nem no Seu poder.
Participei na Campanha de Israel com esse intuito, de conseguir que o meu filho ficasse firme na Fé e foi o que aconteceu! Hoje em dia, ele está firme na Fé e entrega-se totalmente!”, diz, visivelmente feliz.

Maria do Carmo, CdA do Miratejo (Av. 25 de abril, nº 33 – C.C. Miratejo)