O poder da Consagração

irmasMuitas vezes, os problemas das pessoas começam quando estas ainda são crianças, sem saberem muito bem porquê.

Esta é a história de três irmãs pelas quais a mãe lutou, mostrando assim a importância da Consagração.

A nossa mãe teve um parto muito complicado e quase morreu. A primeira gravidez foi de gémeas, que nasceram prematuras e tiveram que receber cuidados especiais no hospital durante alguns meses. Quando chegaram a casa ainda estavam muito debilitadas.
Apesar de os nossos pais não fazerem parte de nenhuma religião em particular, a minha mãe pediu a uma tia, que frequentava o Centro de Ajuda na altura, que levasse um pastor para apresentar as vidas das gémeas a Deus.
Após um ano nasci eu, a filha mais nova, também com a saúde fragilizada. A minha mãe pediu novamente que fosse chamado um pastor do Centro de Ajuda para que apresentasse a Deus a filha mais nova, da mesma forma que apresentou as outras.
Apesar de não O buscar, a minha mãe sabia que existia um Deus e que só Ele era capaz de dar a proteção que ela tanto queria para nossa família!”, conta a mais nova
de três irmãs.

irmas_dstA gota de água e a transformação

“Os anos passaram e chegou a altura da adolescência, na qual começaram também os problemas familiares. Os nossos pais discutiam muito e havia até agressões físicas. Essa situação arrastou-se e chegou a um ponto em que, um dia, o meu pai tentou o suicídio. Foi a gota de água!
A minha mãe sabia onde encontrar a solução e foi aí que começamos a nossa caminhada de Fé, no Centro de Ajuda.
A transformação interior foi rápida, devido à nossa entrega, pois sofríamos muito ao ver os nossos
pais naquela situação.
Entregamo-nos a Deus de corpo, alma e espírito, uma mudança radical! Batizamo-nos nas águas, vivíamos a Fé e, muitas vezes, o problema piorava, mas já havíamos tido um encontro com Deus e sabíamos que o mal não desistiria facilmente.
Por isso, perseverámos sempre unidas numa só Fé e espírito. Fazíamos orações juntas, em casa, na Igreja, trabalhávamos e estudávamos…
Fomos batizadas com o Espírito Santo, os nossos objetivos mudaram, os anos passaram e hoje nós as três temos o prazer de fazer parte desta obra maravilhosa, cada uma num cantinho do mundo, servimos a Deus no Altar!
Por isso, cremos no poder da Consagração, pois a mesma que recebemos quando éramos bebés permite-nos hoje ser a própria bênção!”, conclui.