“Para não bater nos meus pais, eu dava murros nas paredes”