Perseverei!

Todos os anos milhares de pessoas saem do seu país de origem em busca de um futuro melhor e em Portugal essa realidade está, infelizmente, em forte crescimento. Em 2010 o Instituto Nacional de Estatística revelava que quase 30 mil portugueses emigraram. E o Instituto do Emprego e Formação Profissional, segundo a agência Lusa, revelou que a procura de oportunidades de trabalho no exterior tem sido crescente, tendo no espaço de três anos mais do que duplicado o número de candidaturas nacionais registadas no portal europeu de mobilidade profissional Eures. No final de novembro de 2011 as inscrições nacionais eram já 46.223.

E Miriam faz parte dessas estatísticas, uma jovem de 28 anos que se viu obrigada a desistir de procurar uma carreira profissional no seu país e que decidiu partir para, Florença, em Itália. Durante muitos anos, esta teve uma vida difícil e começou por contar a sua história desde a altura em que sobrevivia “com muitas dificuldades financeiras e o meu primeiro trabalho foi a passar a ferro, trabalhando 8 horas por dia e ganhando uma miséria, que não dava nem para comer”. Sem grandes capacidades financeiras, a jovem teve que viver sempre partilhando casa, tal como a maioria dos jovens hoje em dia, os quais não tendo qualquer hipótese de investir em casa própria, fi cam em casa dos pais ou vivem, mais tarde, com amigos ou conhecidos. “Morava num quarto com 6 pessoas e era uma grande luta para sobreviver”, contou.

O dia da mudança
Depois de passar por muitas necessidades, sem o apoio de ninguém e de começar a pensar que a sua vida estava perdida chegou o dia em que ouviu falar da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Desde o dia em que entrou num Centro de Ajuda que percebeu o que tinha que fazer, tal como a maioria das pessoas que testemunham esse sentimento. “Depois de um largo período de sofrimento, cheguei à IURD, comecei a fazer minhas correntes de oração e aprendi a usar a fé”. Aprender a usar a fé , esta é uma das primeiras lições daqueles que entram na Igreja e, que acompanhados de direções e lições, acabam por criar um novo rumo nas suas vidas. E assim foi com Miriam: “naquela época , iniciou-se uma Fogueira Santa de Israel e, nesse momento, lancei-me com toda a minha fé”.

A primeira campanha foi totalmente dedicada à sua vida profi ssional, pois, para a jovem esse teria que ser o ponto de partida para a mudança na sua vida, “falei para Deus que não queria mais trabalhar para os outros, porque tinha dentro de mim uma visão de querer conquistar uma vida de qualidade”. “Sacrifiquei, acreditei e perseverei”, confessou Miriam, sendo essas as condições básicas para algo mudar na vida de qualquer pessoa. Nesse momento, percebeu, segundo ela, através de um sinal de Deus, que o futuro passaria por abrir um negócio próprio.

E, quatro anos após ter chegado a Itália e 20 dias depois do seu sacrifício, “Deus abriu-me as portas e, sem qualquer explicação, consegui abrir meu próprio negócio de produtos naturais da Amazónia, que para além de tudo, é o primeiro na Europa”. Hoje, Miriam já não faz parte das estatísticas de desempregados, estando sim entre os jovens empreendedores e criativos que fazem falta a tantas sociedades. “Agora, sou uma empresária de sucesso, sempre sem me acomodar à minha fé. E tenho a certeza de que as bênçãos de Deus são sempre maiores para aqueles que creem e eu creio!”.

MIRIAM RODRIGUES, FLORENÇA – (ITÁLIA)