Sacrificar

A vida de Joaquim Henriques não mudou de um dia para o outro e a realização pessoal e profissional fez-se com sacrifícios, passo a passo, conquista a conquista. No entanto, durante muitos anos, Joaquim tentou lutar, mas sem quaisquer resultados, até que decidiu procurar ajuda e foi aí que surgiu a Igreja Universal do Reino de Deus.

“Antes de entrar na Igreja tinha uma vida totalmente destruída em todos os aspectos, sendo a área financeira a mais grave; na vida sentimental tinha um casamento fracassado; e na saúde, tinha dores de cabeça constantes, deitando-me e levantando-me com elas, mais cansado ainda. E foi neste sofrimento todo que entrei no CdAE”.

COMO SURGIU A IGREJA NA SUA VIDA

A informação da existência do CdAE chegou-lhe através de um colega de trabalho, que já fazia parte da Igreja há algum tempo. Para esse seu amigo, a ajuda do trabalho da Igreja era indispensável para o seu bem-estar e foi dessa forma, e com o seu testemunho, que Joaquim se convenceu: “falava comigo diariamente, fez-me entender e motivou-me a ir”.

Explica ainda que ao assistir ao sucesso na vida do seu colega, Joaquim começou a ficar motivado e conquistou, pelo menos, uma certeza naquele momento: “se a vida dele tinha mudado, a minha também podia mudar”. O seu primeiro propósito foi o seu grande primeiro desafio, participando na Fogueira Santa e “foi aí que me lancei”.

A COLHEITA DOS PRIMEIROS FRUTOS

Na altura, Joaquim trabalhava por conta de outrem, mas tinha muitos problemas financeiros e uma vida completamente desequilibrada. Logo após a concretização do seu primeiro sacrifício na campanha de Israel, Joaquim conta que: “tornei-me empresário e comecei a trabalhar por conta própria. Hoje, trabalho na construção civil e alcancei bastantes objetivos, tudo através dos sacrifícios”.

Ao longo dos tempos, Joaquim tem colhido os frutos da sua luta e da sua dedicação a Deus e aos seus propósitos. “Posso dizer que tenho tido carros com zero quilómetros, sendo já o terceiro que conquisto; carrinhas, máquinas, telescópios… Tenho todo o material necessário de construção civil para trabalhar”, conta Joaquim.

Para além das suas vitórias a nível profissional, também sente que tem sido abençoado nas outras áreas da sua vida, tanto na saúde como na vida sentimental. “A saúde também está perfeita e tenho um casamento abençoado”, remata Joaquim. Concluindo, afirma que depois de ter entregue a sua vida a Deus e de ter feito o seu sacrifício em nome da fé, os resultados surgiram e, hoje, confessa que não se arrepende de nada, sublinhando que “vale a pena!”.

JOAQUIM HENRIQUES – PENICHE