“O meu sangue estava cada vez mais degradado”

Os medicamentos não surtiam qualquer efeito sobre a febre contínua e o estado debilitado do seu sangue impedia que a quimioterapia pudesse ser feita para ajudar Catarina a lutar contra a leucemia

“Cheguei ao Centro de Ajuda da Igreja Universal muito nova e com um problema grave de saúde, leucemia. Há uns anos atrás, o tratamento existente era apenas o de controlar a febre e os sintomas que iam surgindo.

Tinha febre diariamente, que rondava os 39/40 graus e que não cedia à medicação. Os meus pais davam-me banhos de água fria para tentar baixar a febre, mas, passadas duas horas, estava no mesmo estado ou ainda pior.

Na altura, os médicos não tinham cura para o meu problema de saúde, por causa dos valores das plaquetas e dos glóbulos estarem demasiado baixos, que me impediam até de conseguir suportar a quimioterapia. Fazia análises de duas em duas semanas e o tratamento não surtia efeito, pois a febre continuava igual e o meu sangue estava cada vez mais degradado.”

Curada da leucemia. “A nossa situação começou a mudar quando os meus pais conheceram o CdA, inclusive foram lá, pela primeira vez, num dia em que não havia reunião e o pastor fez uma oração por mim.

Nesse mesmo dia, deixei de ter febre e, gradualmente, as minhas análises foram melhorando. Não precisei fazer quimioterapia e, quando os valores ficaram normais, tive alta. Hoje, estou completamente curada e nunca mais tive nenhuma doença crónica!”

Catarina Figueiredo, CdA Templo Maior

Fonte: Folha de Portugal