Sem barreiras

“Há 18 anos que participo na Fogueira Santa! No meu primeiro sacrifício e, ainda sem entender o propósito, dei apenas 10 euros. Mesmo sendo pouco, recebi logo uma mensagem de Deus, pois, tinha um filho hospitalizado que ficou curado.

Sei que em todos os sacrifícios que tenho feito pela minha família e pela vida financeira, Deus tem-me respondido sempre. Contudo, o momento que me marcou mais foi com a minha nora e o meu filho, que eram casados há 12 anos e não podiam ter filhos. Acabaram por se separar! Um dia, ela foi a casa deles, levou tudo e deixou- o sozinho. Estiveram sete meses separados. Só que eu não queria aceitar aquela situação e, então, fiz um sacrifício por eles. E ela voltou para casa!

Passados seis meses, participei de novo na campanha de Israel e pedi que eles tivessem filhos. Na altura, o meu sacrifício foi de 1.000 contos, que hoje representa 5.000 euros. Fui ouvida e, agora, eles têm dois filhos, uma menina e um menino. Quando entrei na Igreja já era determinada, pois tinha a minha casa e o meu comércio, o qual, entretanto, foi deitado abaixo, por causa da renovação da estação de Queluz. Fiz a campanha da prosperidade, lutei e comprei duas casas. Mais tarde, tive que ir para Inglaterra e quando voltei tive que voltar a trabalhar por conta de outrem, mas não aceitei essa situação. E, há cerca de quatro meses, consegui abrir o meu negócio!

Não meço esforços para os meus sacrifícios e tudo o que tenho foi através deles e da minha fé, por isso não vou parar nunca”.

MARIA AUGUSTA RODRIGUES