Sem trabalho e sem família

Este foi o cenário que Liberto viu diante dos seus olhos, tudo por causa da falta de motivação e da capacidade de agir DSC_0630

Antes de chegar ao Centro de Ajuda (CdA) tinha uma vida muito limitada. Na altura, trabalhava por conta de outrem e tinha muitos problemas quer em casa, quer no trabalho. Apesar de ser bastante bom naquilo que fazia, ninguém reconhecia o meu trabalho.

A nível familiar, tudo se estava a encaminhar para a separação porque como eu não me conseguia realizar profissionalmente virava toda a atenção para o trabalho. Então, comecei a colocar de lado a minha mulher e a minha filha recém-nascida para me dedicar a 100 por cento ao trabalho. Em casa, tudo se começou a deteriorar, pois nem as poucas tarefas que me cabiam eu fazia e isso gerava mau ambiente.

Como trabalhava numa empresa que tinha sede no Porto, tinha de fazer muitas deslocações e ficava muito tempo fora de casa. Para além disso, era uma pessoa extremamente nervosa, muito emotiva e ficava facilmente magoado quando as coisas não eram feitas como eu queria”,conta.

O fundo do poço

Era delegado especialista de uma empresa farmacêutica, que tinha adquirido no ano em que entrei uma nova área de negócio. Estavam habituados a trabalhar com anticorpos e adquiririam uma licença de distribuição para Portugal inteiro de material de laboratório dentro da minha área das análises clínicas, onde eu seria o delegado responsável pela margem Sul.

A pressão era muita e, em setembro de 2010, fui despedido porque diziam que não apresentava os resultados que a empresa queria.

Passei a sentir um vazio enorme, pois sabia que tinha muito para dar, mas não sabia realizar, quer profissional, quer pessoalmente. Todas as áreas da minha vida estavam falidas” explica.

Motivação e ação

Cheguei ao CdA em dezembro de 2009 e, passo a passo, foi acontecendo uma transformação na minha vida, quer a nível pessoal, quer familiar, quer profissional.

A minha esposa à medida que foi vendo mudanças em mim, pois comecei a agir e o vazio que sentia foi sendo preenchido, decidiu ir também.

A nível profissional, comecei a pensar em colocar em prática a experiência que tinha adquirido.

Perto da nossa casa existia uma pequena clínica onde poderia abrir o meu primeiro posto de colheita de análises clínicas. Idealizei todo o espaço, tratei de todas as licenças sanitárias e camarárias e foi assim que começou a LS Saúde.

Entretanto, a questão das análises clínicas deu uma volta de 180 graus, deixando de ser rentável e surgiu-me a ideia de mudar um pouco o foco da nossa área de trabalho. Como tinha estudado e tirado uma pós-graduação em acupunctura e em medicina bioenergética, decidi abrir uma clínica nessa área. Assim fiz em novembro de 2012 e o percurso, desde ai têm sido tem sido sempre em crescimento, mesmo no meio da crise financeira. Cheguei aqui e a clínica estava praticamente montada. Comecei com três marquesas e, em dezembro de 2013, fiz obras. Coloquei ar condicionado em todos os gabinetes, ampliei uma sala e fiquei com cinco marquesas. Hoje, a clínica está a funcionar em pleno. Para além disso, agora a minha família está unida e feliz.

Tudo o que tenho hoje devo ao CdA, à minha Fé e ao poder do Sacrifício. Participo na reunião das ‘Conquistas Financeiras’ e 100 por cento das ideias que tenho e implemento aqui vêm de lá” sublinha.

Liberto Matos