Suicídio, depressão e uma vida destruída

CasosReais-ClaraSoeiroDepressões, pensamentos suicidas, doenças que à partida são incuráveis… são vários os acontecimentos que podem destruir uma vida. Mas lembre-se que há sempre uma forma de conseguir dar a volta.

Quando deu por si, Clara tinha a vida completamente destruída a vários níveis, algo que acontece frequentemente a centenas de pessoas. Os problemas e as dificuldades vão tomando conta das suas vidas sem que se apercebam, e por vezes quando dão por isso já é tarde demais.

Clara teve a possibilidade de recompor a sua vida e recomeçar graças ao convite da sua irmã para ir ao Centro de Ajuda (CdA). Esta oportunidade está ao alcance de todos, uma vez que o CdA tem as suas portas abertas todos os dias, em vários locais do país, incluindo nas ilhas da Madeira e dos Açores.

O pior momento

“Cheguei ao Centro de Ajuda através de um convite da minha irmã. Tinha uma vida destruída a todos os níveis.

Pensava no suicídio, tinha uma depressão, o meu marido e eu tínhamos muitas discussões e chegámos a quase separarmo-nos. A vida económica até era boa, mas não me satisfazia devido a todos os outros problemas. O pior momento da minha vida foi quando percebi que não podia engravidar”,
conta Clara.

A oportunidade de recomeçar

“Ao chegar ao CdA comecei a participar nas reuniões e a entender os ensinamentos práticos, e foi aí que aprendi a usar a Fé. Na minha experiência com o Sacrifício voluntário para Deus, alcancei a minha transformação.

Mudei a minha maneira de ser, o meu interior, não penso mais no suicídio e hoje tenho dois filhos lindos. Sinto-me completamente realizada!

O meu conselho é que cada pessoa que está a lutar com problemas de qualquer ordem, se dirija ao Centro de Ajuda, pois foi aqui que eu alcancei a minha realização”, garante Clara.

Clara Soeiro, CdA da Cruz de Pau, (R. da Cordoaria, Quinta das Cordas, nº 42)