“Trabalhei numa produtora de filmes pornográficos”

josecarlos“Cheguei muito novo ao Centro de Ajuda da Igreja Universal, onde ouvi a Palavra de Deus e entreguei a minha vida ao Senhor Jesus, começando a fazer a obra de Deus.

Mas, com o passar do tempo, comecei a olhar com maus olhos para muitas coisas na Igreja. Como achei que estava muito bem, os meus maus olhos fizeram-me ver o que era mau como bom e o que era bom como mau.

Foi assim que me afastei da Igreja e comecei a procurar outras denominações religiosas, mas, no fundo, nada mudou. O meu coração estava completamente manchado com mágoas!

Neste período da minha vida, fui trabalhar para uma produtora de filmes pornográficos, onde tinha de duplicar os filmes. Com o passar do tempo, comecei a ver os filmes e, depois, passei a pesquisar e a consumir estes conteúdos na Internet. Passou a ser um vício para mim, pois cada vez que estava sozinho ia ver pornografia. Tudo isto acabou por trazer problemas para o meu casamento, que começou a esfriar. Recordo-me que, depois assistir aos filmes, sentia-me triste e cheio de remorsos, porque sabia que estava errado.”

Vencer o mal. “Foi neste estado que regressei à Igreja Universal, mas não foi fácil mudar, pois trazia dentro de mim muitas coisas que me deixavam amargurado. Comecei a lutar e conforme ia ouvindo a Palavra de Deus, fui mudando.

Quando participei no Jejum de 40 dias de audiovisuais, lancei-me por completo e o meu coração começou a ser restaurado. Entretanto, a minha vida começou realmente a mudar. Fui promovido, recebi um aumento de salário e estou livre do vício da pornografia. O meu casamento está restaurado e, mesmo trabalhando com Internet, não sinto mais necessidade de consumir pornografia.

José Carlos, CdA Mafra

Fonte: Folha de Portugal