Uma vida de violência, ódio e desespero

Ana-Paula(antes)

Ana Paula foi um desses casos. Durante mais de uma década foi vítima de violência doméstica por parte do seu ex-marido, o que contribuiu para a completa destruição e desunião da sua família, entre outros problemas.

“Durante 11 anos sofri de violência doméstica pelo meu ex-marido. A minha família foi completamente destruída pelas discussões e pela desunião. Devido a estes problemas afundei-me em dívidas de cerca de 35 mil euros e perdi as minhas frutarias, um negócio próprio que tinha há vários anos”, conta.

Todos estes problemas fizeram com que entrasse numa depressão, da qual chegou a julgar não conseguir sair. Além disso, o ódio começou a apoderar-se, perigosamente, do seu interior.

“Tomava antidepressivos todos os dias tentei matar o meu ex-marido com uma faca mas não consegui. Tomada pelo ódio, comecei a enlouquecer querendo matar todas as pessoas que apareciam na minha frente. Por esse motivo, fui internada no hospital psiquiátrico Júlio de Matos.

CasosReais-AnaPaulaCansada de tanto sofrer, tentei então o suicídio por duas vezes tomando dezenas de comprimidos de uma só vez. Felizmente, foi uma tentativa frustrada”, acrescenta Ana Paula.

Como tudo pode ser diferente

Depois de tudo aquilo, Ana Paula decidiu que a sua vida tinha que ser diferente e foi ao chegar ao Centro de Ajuda (CdA) que percebeu que havia uma solução, um caminho diferente a seguir.

“No CdA ouvi que tudo poderia ser diferente. Aprendi a fazer o uso devido da Fé e tudo mudou!

foto-ana-paulaHoje estou liberta da depressão e, em vez de morrer, desejo agora viver cada vez mais. Quanto à minha família, está unida e muito bem! Casei novamente e sou feliz! O meu marido é um homem de Deus e consegui novamente voltar a trabalhar por conta própria. Sou fisioterapeuta e estou no segundo ano da licenciatura em direito.

Estou, finalmente, a concretizar os meus sonhos e objetivos que tinham morrido. A área financeira também não tem comparação: paguei as dívidas que tinha e hoje vivo bem e sem problemas financeiros”, conclui.

Ana Paula Santos, CdA da Quinta do Conde (Av. Cova dos Vidros, nº 49)