Fogueira Santa no Templo de Salomão

 

fs3Quando o que importa é Deus!

Parece demasiado cruel? Seria fraco o amor de Abraão por Isaque? Não! Apenas para quem procura racionalizar a Fé Sobrenatural e o Sacrifício, as respostas ficarão sempre aquém do procurado…

Deus chamou-o… mas não o chamou de forma aleatória, chamou-o sim, porque ele tinha algo que o diferia de todos os da sua época: uma capacidade inigualável para obedecer à Sua Palavra… sim, a Fé de Abraão era sem precedentes, pois ele estava disposto a tudo e nisto ele era único.

Mas, Deus também tinha algo para lhe dar… aliás, não apenas uma coisa, mas várias, uma das quais Abraão desejava mais do que tudo na vida: um filho.

Então, 7 Promessas lhe foram feitas:

  • “de ti farei uma grande nação”… quando ele nem filhos tinha.
  • “e te abençoarei”, quando ele tinha visto a maldição, a morte do irmão mais novo, do segundo irmão e do pai.
  • “e te engrandecerei o nome”… quando ele não era ninguém.
  • “Sê tu uma bênção!” (Gn 12.2). Ele seria a própria bênção, quando ele não tinha absolutamente nada.
  • “Abençoarei os que te abençoarem”. Abraão tinha autoridade para abençoar os outros.
  • “e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem”
  • “em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.3).

Sim, pai há só um e quando Deus denominou Abraão de “Pai da Fé”, quis dizer que ele cumpriu de forma exemplar o propósito para o qual fora chamado, daí, tornando-se um exemplo para todos nós: o “Pai da Fé”.

É certo que cada um de nós está nesta terra com um propósito, e Deus chamou Abraão, assim como chamou a cada um de nós, mas, se o Sobrenatural vai acontecer na sua vida ou não, isso não depende de Deus, nem de terceiros, e sim única e exclusivamente de si, pois a Fé é individual, intransferível!

Deus exigiu dele sacrifício, atrás de sacrifício: 1º Sai da tua terra; 2º da tua parentela; 3º da casa de teu pai e 4º vai para a terra que te mostrarei. Quatro sacrifícios, mas também Deus lhe ofereceu, fez-lhe 7 promessas. E porquê? Porque ele não aceitou ter o mesmo fim que o seu pai. Ele não aceitou ter o mesmo fim que os seus irmãos. Ele não aceitou ficar na metade do caminho. Ele não aceitou crer em Deus e viver como se não cresse.

“Pela Fé, ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as Promessas ofereceu o seu unigénito.
… porque considerou que Deus era Poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar.”

(Hebreus 11.17-19)

Pela fé (Abraão usou a consciência e não a emoção)
ofereceu (ele abriu mão do que mais queria)
Abraão a Isaque (era tudo aquilo pelo qual tinha lutado)
quando foi provado (ato de tomar uma pequena porção de um todo para avaliar o seu estado),
sim, aquele que recebera as Promessas (ele já tinha recebido, não havia o porquê oferecer, a não ser para provar a sua lealdade e obediência)
ofereceu o seu unigénito (o mesmo que “Deus” em atitude, que também ofereceu o Seu Unigénito).

… Considerou que Deus (o que IMPORTAVA era Deus e não o que ele sentia, pensava, tinha ou planeava)
era Poderoso (Ele é capaz de tudo, pois tudo foi criado por Ele e para Ele, tudo é d’ELE!)
para até dentre os mortos o ressuscitar (ele creu na ressurreição, quando até então nunca havia acontecido tal coisa na História da humanidade. Ele sabia que Deus Havia Prometido descendência, então, de alguma maneira, Ele lhe daria).

E você? Aceita viver a sua vida pela metade? Crer em Deus e viver como se não cresse? Não? Então, siga o exemplo do seu Pai da Fé…

Fogueira Santa no Templo de Salomão

Saiba mais num Centro de Ajuda mais perto de si

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *