Seja a COLUNA que suporta tudo!

Não pode quebrar, nem sequer rachar, na verdade, ela deve ser tão forte e fiável no seu núcleo, que tudo o resto pode falhar, menos a força inabalável da coluna. Mas, o que terá isso a ver com a sua vida?

Ao longo da nossa existência, sempre nos iremos deparar com momentos difíceis, que são todos aqueles em que sentimos que as nossas forças nos estão a falhar ao enfrentá-los. É um facto: a vida não é mesmo nada fácil, porém, existem estratégias eficazes para minimizar os seus danos, e elas traduzem-se em nos fortalecermos previamente, diante das complicações que muitas vezes surgem.

“A SABEDORIA edificou a sua casa, lavrou as suas SETE COLUNAS.”

Provérbios 9.1

Procure edificar a sua vida com sabedoria, erigindo cada uma destas colunas, que o sustentarão a si e a quem o rodeia, pois superamos e vencemos, não com as nossas “boas intenções”, mas com o recurso à Fé! Por isso, não olhe para trás e sim para a frente, pois, o que importa é o “agora”. Não se preocupe com o “amanhã”, e sim com o que pode fazer hoje, e o amanhã estará garantido!

Todas as QUARTAS-FEIRAS, você dará mais um passo para transformar o seu interior, tornando-o numa verdadeira coluna, inquebrável, inabalável e capaz de suportar tudo na vida, inclusivamente, o que antes parecia insustentável!

1- Obediência
Quarta-feira, dia 23 de Setembro

“Se vocês Me amam, obedeçam aos Meus Mandamentos.”

Jo 14.15 NTLH

Deus observa a nossa obediência nas mínimas coisas, especialmente nos detalhes que são muitas vezes ignorados…

A OBEDIÊNCIA é, antes de tudo, uma escolha. Cada ser humano foi dotado de “livre arbítrio” e é esta sua “vontade própria” que torna o ato de obedecer uma escolha pessoal, nunca imposta e intransmissível. Mas, o que significa OBEDECER?

Obedecer significa: “submeter-se à vontade de outrem; reconhecer a autoridade, o poder de alguém; estar dependente de um poder ou autoridade; executar as ordens de alguém; cumprir; deixar-se guiar por…; dependência em relação a determinada autoridade”.

Neste caso, como A PRIMEIRA COLUNA DA SABEDORIA, A QUEM IMPORTA OBEDECER? A DEUS! Mas, em quê? Em tudo: o que somos, sentimos, pensamos, fazemos e escolhemos não fazer! Não basta dizer que se crê, é necessário obedecer, pois esta será a prova cabal da nossa Fé! Este é o primeiro grande fundamento de cada cristão, pois, como podemos afirmar que acreditamos em Deus, se escolhemos desobedecer, fazer a nossa própria vontade (ou a de terceiros) e não a de Deus? E desengane-se, pois Deus prova e observa a nossa obediência nas mínimas coisas.

Até o Senhor Jesus, mesmo sendo Deus, aprendeu sobre a obediência nas coisas que sofreu, pois também Ele teve que Sacrificar, negar a Sua Vontade, sentimentos e emoções. Ele afirmou que veio para fazer CUMPRIR A PALAVRA DO SEU PAI, à qual obedeceu desde criança até à morte na Cruz.

2- Fidelidade
Quarta-feira, dia 30 de Setembro

“Eis a Rocha! Suas Obras são Perfeitas, porque todos os Seus Caminhos são Juízo; DEUS É FIDELIDADE, e não há n’ELE injustiça; É JUSTO E RETO.”

Deuteronómio 32.4

Se ainda não reparou, tal como acontece com a OBEDIÊNCIA, a FIDELIDADE, a Segunda Coluna da Sabedoria, é uma escolha pessoal, uma atitude que parte de cada indivíduo. Esta é a prova de que a estrutura que nos sustenta, não só é sabiamente construída, como parte da nossa vontade própria e não da terceiros e muito menos da Vontade de Deus! Todos nós sabemos que DEUS é FIEL e ELE continuará a ser FIEL sempre, mas, infelizmente
há muitos que prometeram ou prometem ser fiéis, e acabam por não ser. Um dos delitos e falhas que mais deixa Deus irritado e irado é a infidelidade. Na Bíblia, temos como exemplo o povo de Israel, que durante 430 anos foi escravo no Egito, mas que, através de Moisés, tornou-se livre. Porém, após a travessia pelo Mar Vermelho, na primeira dificuldade que surgiu no deserto, eles não tiveram FÉ para se manterem FIÉIS, tendo começado a blasfemar, por esse motivo corromperam-se e rebelaram-se contra DEUS, e, por isso, a TERRA os tragou:

“Quando a TERRA abriu a boca e os tragou com Corá, morrendo aquele grupo; Quando o fogo consumiu duzentos e cinquenta homens, e isso serviu de advertência.”

Números 26.10

Quantos são aqueles que se afirmavam como cristãos convertidos, e que mostravam ser fiéis, até ao momento em que se levantaram obstáculos ou surgiram grandes e graves problemas, a fim de pôr a sua FÉ à prova? Mas, infelizmente, eles acabaram por desistir… Forte não é somente aquele que vence, mas aquele que permanece na fidelidade. Para Deus, a infidelidade é uma doença, e o infiel é um doente, porém, o doente só será curado, se realmente quiser ser, e assim Deus fará apartar desta pessoa a Sua Ira e a amará continuamente.

“Disse o SENHOR: Curarei a sua infidelidade, Eu de Mim Mesmo os amarei, porque a Minha IRA se apartou deles”.”

Oséias 14.4

3- Sacrifício
Quarta-feira, dia 7 de Outubro

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em Sacrifício Vivo, Santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”

Romanos 12.1

O Sacrifício faz parte da vida humana, pois, tudo aquilo que fazemos para obter algo superior envolve sempre sacrifício. Não é por acaso que o Sacrifício surge, então, como uma das Colunas da Sabedoria, pois ele é, de facto, o pilar da vida, o ponto de partida de quem escolhe ser aquilo que sonha.

Mas, como se realiza o SACRIFÍCIO?
Em primeiro lugar, o SACRIFÍCIO verdadeiro tem que começar por ser ESPIRITUAL, que é a obediência à Palavra de Deus. Aceitando os Seus Mandamentos sem exceção e confiando plenamente na Sua Fidelidade, Cuidado e Imutabilidade.
Depois, tem que existir o SACRIFÍCIO FÍSICO, que é negar as suas próprias vontades, pagar o mal com o mal, olhar para a pessoa com maus olhos, fazer as próprias vontades, manias, caprichos, os vícios, a tentação, etc.

Observe que nada se conquista sem sacrifício! Basta que você olhe para a CRUZ, que é o SÍMBOLO DO SACRIFÍCIO! Para que hoje fossemos perdoados e salvos, o Senhor Jesus teve que morrer por nós! Porém, quem é “infantil”, quer conquistar sem sacrificar e são estes que não valorizam a vida, nem os outros e muitos menos as conquistas… e, se conquistam algo, cedo ou tarde acabam por perder, como tantos que conhecemos!

Será que você alguma vez pensou ou alguém enganosamente lhe disse: “Você não precisa de Sacrificar porque o Senhor Jesus já sacrificou na cruz por si”? Saiba que o espírito do anti-Cristo tem trabalhado na mente de muitas pessoas para que elas se recusem a Sacrificar em prol da sua Libertação, Salvação e a Realização dos seus sonhos. Não é porque Ele já Fez ou É, que eu não devo fazer ou ser. Pelo contrário, o Senhor Jesus fez o que fez para nos deixar um Exemplo a seguir de como fazer as Coisas para Deus com fé, coragem, devoção, sacrifício e perseverança.

A Ordem é que sejamos imitadores de Deus, que façamos o que Ele Fez e coisas maiores:

“Eu afirmo a vocês que isto é Verdade: quem crê em Mim fará as coisas que Eu faço e até maiores do que estas, pois Eu vou para o Meu Pai.”

João 14.12 NTLH

4- Confiança
Quarta-feira, dia 14 de Outubro


“Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem.”

Salmos 56.11

Pensamentos negativos… quem não os tem? Os pensamentos negativos, infelizmente, vêm a todos. Pensamentos maus, de derrota, como: “nunca vais ser feliz sentimentalmente”, “nunca vais prosperar na vida”, “a tua família nunca vai ser unida”, “nunca vais ter uma saúde estabelecida, restaurada”, “nunca vais ser Batizado com o Espírito Santo”, “não vale a pena seres honesto”, “não vale a pena fazeres dieta, fazer exercício”, “vais perder tudo”, “nunca vais ter uma vida estável”…

Então, onde está a diferença?

A diferença é que quem é de Deus, quem assume a sua Fé n’Ele, é definido, sabe o que está escrito, conhece os pensamentos de Deus e não aceita ser derrotado, fracassado nos seus pensamentos.

Mentalize-se: nós estamos numa batalha constante, desde o momento em que acordamos até ao momento em que dormimos, contra os pensamentos negativos e embora não possamos controlá-los, podemos decidir que pensamentos alimentaremos.

Sabe quais são os pensamentos de Deus para a sua saúde, vida sentimental, conjugal, família, espiritual e económica? Então, porquê aceitar a doença, a maldição, a separação, a solidão, a violência, os vícios, a depressão, o negativismo, a opressão ou a miséria?

A quarta Coluna da Sabedoria é a CONFIANÇA, por isso, EXERCITE A SUA! A nossa confiança tem um grande galardão, mas, para que você possa exercitar a sua confiança, tem que rejeitar os pensamentos negativos e, diante dos problemas, das dificuldades, das tribulações, terá sempre que obedecer à Palavra de Deus. Com Ele, não existe meio termo… OU É OU NÃO É! E, enquanto muitos estão “em cima do muro”, Deus faculta importantes lições para que venhamos a tomar consciência das nossas atitudes, se as mesmas são certas ou erradas, à luz da Sua Palavra.

O princípio da confiança não é fácil de aplicar para o ser humano. Quando somos crianças, o nosso nível de confiança, habitualmente, está a 100%, pois não temos motivos para desconfiar dos outros, porém, à medida que vamos crescendo, vamos não só acumulando experiências negativas, como também escutando das vozes mais experientes alertas de “cautela”, “atenção” e “cuidado”, pois o mundo é um local perigoso e nem todos são merecedores ou dignos da nossa confiança.

Depois, veio o amor… e você confiou a sua vida, porque tudo o que a outra pessoa lhe dizia você acreditou, creu que era verdade, por isso uniu a sua vida a ela em matrimónio. Não é verdade? Pois bem, ainda mais tem que ser com Deus, você tem que crer na Palavra d’Ele, confiar n’Ele acima de tudo e de todos e não na sua própria força, conhecimento ou sabedoria.

5- Disciplina
Quarta-feira, dia 21 de Outubro


“Quem ama a DISCIPLINA ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido”

(Provérbios 12.1)

Seja autoimposta ou determinada por terceiros, a disciplina dificilmente é vista como fonte de lazer e sim como uma atitude séria de aceitação e prática de princípios que estão acima dos nossos.

“Toda DISCIPLINA, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça”.

(Hebreus 12.11)

Depois que a disciplina é aplicada e aceite, produz fruto pacífico, ou seja, a pessoa fica em paz. Mas, infelizmente, há aqueles que nem sequer a aceitam e há ainda aqueles que aceitam, mas não a praticam.

E não pode ser nem uma coisa, nem outra, tem que ser as duas! Temos que aceitar e praticar! Não podemos só aceitar e não praticar!

Mas o que é ser disciplinado?

A pessoa disciplinada possui o autocontrolo e a obediência necessárias para respeitar as “regras” subjacentes ao processo de conquista seja de que objetivo for, ou seja, ninguém se torna bem-sucedido da noite para o dia, é uma luta que exige, acima de tudo, muita DISCIPLINA!

E quem aceita e faz isso é porque é maduro, adulto, usa a razão, sabe dominar-se. E quem se domina, acaba por ser uma influência positiva sobre os outros, pois é vista como uma pessoa adulta, em primeiro lugar, disciplinada!

Já o oposto também terá as suas consequências, pois, com certeza, você sabe a que leva a indisciplina! Ao desprezo pelas normas instituídas, pelos valores da sociedade, pela Palavra de Deus. Uma pessoa indisciplinada, dificilmente é obediente, é desconfiada e, muito menos, procura depender de Deus!

OBEDECER, SER FIEL, SACRIFICAR E CONFIAR 100% EM DEUS pressupõe, antes de mais nada, SER DISCIPLINADO! É a sua capacidade de se autodisciplinar que o irá tornar capaz de cumprir com os Princípios Divinos, por isso, a Quinta Coluna da Sabedoria, A DISCIPLINA, não deverá, de forma alguma, ser desprezada ou deixada ao acaso.

Seja disciplinado, fazendo de tudo para nunca perder a sua Comunhão com Deus, começando pela colocação em prática das quatro primeiras colunas.

Pense um pouco: quantas coisas você perdeu por ser indisciplinado?
Demasiadas? Pois bem, quer continuar a perder? Cabe-lhe apenas a si
reverter esta situação!

6- Humildade
Quarta-feira, dia 28 de Outubro


Muitas vezes mal interpretada, a HUMILDADE é um dos maiores aliados do ser humano, pois, ajuda-o não só a compreender onde ele errou, mas oferece-lhe a capacidade de fazer sempre melhor no futuro.

Como seres humanos, por vezes é difícil manter o tempo todo, em todas as ocasiões, uma postura humilde, sincera, verdadeira, leal, perseverante, honesta, etc, pois debatemo-nos constantemente, entre fazer o que é certo e fazer a nossa própria vontade, contando, para isso, também com a atitude dos outros (que muitas vezes não ajuda).

Assim como a humildade é tida como uma das mais admiráveis qualidades do espírito, da mesma forma, o orgulho é visto como um dos seus maiores defeitos. A Bíblia diz que:

“A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra”.

Provérbios 29.23

Pois, quem procura exaltar-se a si mesmo, Deus acaba por lhe resistir, já que Ele mesmo nos aconselha a sermos como as crianças – puras e humildes – para que possamos herdar o Reino de Deus. Um espírito orgulhoso é um espírito intransigente.

Não é por acaso que a Humildade surge como a 6ª Coluna da Sabedoria, pois só quem é humilde sabe, naturalmente, que depender de Deus é a única atitude verdadeiramente sábia e que ser orgulhoso é o princípio de se achar auto-suficiente e de não necessitar de Deus para
nada!

O orgulhoso pensa que a sua experiência é suficiente e, por isso, não reconhece os seus defeitos, tentando sempre aparecer e nunca ser!
O orgulho pode ser mau, pois demasiado brio em si mesmo é suficiente para destruir o positivo, como a arrogância pode tornar uma existência árida.

O humilde, ao contrário do orgulhoso, está sempre disposto a aprender com os seus erros, pois vê nas suas falhas a oportunidade de se aprimorar e fazer ainda melhor.

A humildade foi o primeiro ensinamento que o Senhor Jesus Se preocupou em dar aos Seus discípulos e ao povo, quando iniciou o Seu ministério terreno:

“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus”.

Mateus 5.3
Aqui, podemos entender que a humildade tem que estar no espírito da pessoa, por isso ELE disse “humilde de espírito”.

Todavia, não basta apenas fazer, mas, sim, entregar-se ao seu objetivo de corpo e alma e estar disposto a ser humilde para aceitar as críticas e aprender com os erros. E ser humilde não é ser “o coitadinho” como muitas pessoas preferem acreditar, trata-se de uma escolha diária e consciente, pois passa por, constantemente, fazer por onde para se estar e manter em contacto com o nosso mais íntimo, aceitando os alertas da nossa consciência e, especialmente os de Deus!

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *