Mensagem

A hipocrisia dos “irmãos”

liarE, estendendo-se três vezes sobre o menino, clamou ao SENHOR e disse:
Ó SENHOR, meu Deus, rogo-Te que faças a alma deste menino tornar a entrar nele.
O SENHOR atendeu à voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele, e reviveu. I Reis 17.21,22

Elias clamou e a alma do menino, que já estava com Deus, voltou a entrar nele.

Quantas respostas são obtidas através de um clamor, jejum ou uma corrente?

Porém, existem outras respostas que exigem muito mais da nossa fé.

Elias subiu o Monte Carmelo para buscar uma resposta a qual, por meio dela, ficasse provado que o seu Deus era o Único.

Ele queria que o fogo fosse derramado dos céus.

Algo sobrenatural que não deixaria nenhuma margem para dúvidas sobre quem era o Verdadeiro Deus.

Nesse caso, ele teve que apresentar uma prova de fé, que é o sacrifício.

Tratando-se do sacrifício, ele sempre será a maior expressão de fé, independentemente do altar onde é apresentado. Os servos de Baal apresentaram o sacrifício a Baal.

E Elias apresentou o sacrifício a Deus.

O resultado não poderia ser outro: Deus respondeu com fogo!

Hoje existe uma hipocrisia no meio daqueles que se dizem crentes, evangélicos e até cristãos. Supostos “irmãos” que criticam aqueles que apresentam o sacrifício no Altar do Deus Vivo em nome da sua fé.

Se esses “irmãos” se empenhassem para mostrar a fé que funciona para aqueles que são enganados pelas religiões, na mesma intensidade que perseguem e criticam quem sacrifica, o Reino de Deus aqui na Terra seria expandido muito mais rápido. Mas a verdade é que eles não podem mostrar o que não vivem, e não vivem porque não creem.

Eu fico pensando:

Se esses “irmãos” estivessem no Monte Carmelo na hora do Desafio de Elias,de que lado eles ficariam? Do lado de Deus ou de Baal?

Colaborou: Bispo Djalma Bezerra

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.pt

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *