Mensagem

Aconteceu no Monte Hermom

monte_hermon-706x410Ouça o que o Espírito diz a todos:

Pedro havia sido testemunha ocular de muitos acontecimentos que mostraram o Poder de Deus. Como, por exemplo:

– A pesca maravilhosa;
– Andar sobre as águas;
– A ressurreição da filha de Jairo;
– A multiplicação dos pães e peixes;
– A restauração da orelha decepada;
– Ver a própria sombra curar os enfermos;
E muitos outros acontecimentos relatados na Bíblia.

Porém, nas suas epístolas, ele dá ênfase a uma das experiências mais marcantes de toda a sua vida, ocorrida no Monte Santo, o Hermom, o Monte da Transfiguração.
Diz o texto:

…pois Ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa Lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo.
Ora, esta voz, vinda do céu, nós a ouvimos quando estávamos com Ele no Monte Santo.

2 Pedro 1.17,18

No Monte da Transfiguração, Pedro, Tiago e João presenciaram o Filho de Deus sendo honrado pelo Pai. Esse acontecimento ficou marcado nas suas vidas.
E essa é a nossa fé! Todas as experiências que você teve com Deus até hoje não serão comparadas com o que acontecerá no Monte Hermom. A proposta é uma mudança verdadeira de vida que ocorre de dentro para fora. Algo que irá superar tudo o que você já viveu até hoje.

Da mesma forma que o Filho de Deus ali foi honrado, todos os que estiverem com a vida entregue no Altar serão também honrados com o derramamento do Espírito Santo, a Armadura de Deus.

É no Monte Hermom que o Senhor ordena a Sua bênção e a Vida Eterna.

Comentários:

Natacha Azevedo Santos

Bispo,
Um dia cheguei à Universal muito mal. Fui liberta, mas esse processo não foi fácil, pois vivia atormentada pelos meus medos e inseguranças. Dois meses depois, me batizei nas águas e me entreguei, porque já estava cansada de viver de humilhação. Queria conhecer o amor verdadeiro e sincero. O dia do meu batismo foi muito especial porque eu só sabia rir… uma felicidade e uma certeza tomavam conta do meu ser. Lembro que liguei para minha tia, que é obreira, e contei, só ela e eu sabíamos.

Continuei minha busca, porém, bispo, depois de alguns meses já não frequentava todos os dias, fui ficando confusa, perdida em meio a tantos sentimentos e emoções. A culpa me sufocava, meus pensamentos eram no quanto o meu Deus estaria decepcionado comigo. E eu não conseguia liberar o perdão a mim mesma, muito sério isso. Somos críticos demais e buscamos a perfeição a todo instante. Se algo sai do controle, nos martirizamos com críticas e culpa. Bispo, as dúvidas são passos largos para o inferno, e assim eu me encontrava, perdida.

A FÉ emotiva era só o que eu tinha, tudo movido por choro e muito sentimento. A emoção estava à frente de tudo, era fraca, não tinha compromissos com Deus, não jejuava, orava poucas vezes e não lia a Bíblia. Tudo se encaminhava. Até que foi anunciado o Jejum de Daniel, uma oportunidade para me aproximar de Deus.
Dia 19, às 14:01, recebi uma ligação, era minha irmã para me avisar que o meu irmão havia sofrido um acidente de moto. Luís Henrique Azevedo, 17 anos. Moramos em cidades diferentes, então coube a mim avisar a minha mãe, que trabalhava na hora. Quanto desespero, notícias desencontradas. Lembro que quando chegamos ao hospital, umas 3 horas depois, ouvíamos os gritos dele lá de fora, ficamos um tempo aguardando-o passar no corredor, queria vê-lo, queria poder falar que estava lá. Que susto quando o vi, não parecia ser ele, não parecia humano, rosto desfigurado, a cabeça era enorme. Lembro-me da minha mãe segurando as mãos dele e dizendo: “Filho, eu estou aqui.” E ele subiu ao CTI. Minha mãe disse que ele não conseguia respirar.

No dia seguinte, dia 20, a notícia: traumatismo craniano, ossos da face quase todos fraturados, alguns dentes quebrados, os órgãos todos revirados, derrame na pleura, pulmão perfurado e traumatizado. Meu irmão teria que ser entubado, porque não conseguia respirar. Estava correndo risco de vida, o estado era grave. Que tristeza, que medo. A cena dele entubado em um leito me perturbava.

Sabe, bispo, uma semana antes ele tinha pedido perdão ao avô e ao pai, estava frequentando a Igreja, já tinha recebido o convite do grupo jovem e estava decidido a entrar, devolveu o dízimo, uma transformação da água para o vinho. Eu tentava ficar firme, elevando o máximo possível dos meus pensamentos a Deus, mas confesso que estava confusa. No terceiro dia, a notícia que ele corria risco de vida e a recuperação demoraria muito. Foi feito um procedimento, através da drenagem pelo nariz conseguiram tirar um pouco de sangue da cabeça, porém, não poderiam manter o tubo de respiração pela boca, devido ao trauma ter sido todo na face. A solução seria uma traqueostomia. Minha mãe teve que assinar a liberação, porque a vida dele dependia disso, uma vez que ele não conseguia respirar sozinho. Outro baque, fiquei muito mal e tudo ia me oprimindo cada vez mais. Pegamos firmes no Jejum Daniel, jejum em favor da vida dele e muita oração.

No quarto dia, os tubos continuaram, mas algo agora acrescentava o quadro, pneumonia. Já não tinha palavras, era só gemidos. Estava presa em um misto de sentimentos e emoções que me fizeram calar.
No mesmo dia, algo me marcou muito, ao ouvir falar das sequelas que o acidente deixaria nele, ele até poderia não se lembrar mais dos pais, foi a minha revolta. Não é justo! Deus é perfeito e faz tudo com perfeição e o fez com perfeição!

Não, não e não! Bispo, foi o dia em que tudo se confundiu, amor, raiva (não de Deus), compaixão, medo, paz, revolta. Sempre desejei para ele um futuro feliz, uma família bonita, filhos sadios, não poderia aceitar de forma alguma que ele viesse a ficar limitado, porque o meu Deus o fez perfeito. Ali dentro do banheiro falei com Deus.

“Meu Deus, meu Pai, preciso do seu Espírito. O Senhor ouviu a oração de Manassés, porque não ouviu a minha?”. De joelhos chamei por Deus, e Ele, na Sua infinita misericórdia, me resgatou. Ao beber daquele copo com água, meus pensamentos eram só coisas boas, coisas com certeza e verdade. Nada de dúvida, certeza e só. Um filme se passara em minha mente, o meu batismo, os gemidos, as dores, os risos e, enfim, a paz que tanto tinha buscado! Sim, bispo, encontrei novamente a paz.
Por volta das 18h, entendi o quanto sou pequena diante do Meu Deus, o quanto sou limitada porque não tenho noção do tamanho da Sua grandiosidade. Meu irmão passou o dia respirando sozinho, já não tinha mais nenhum aparelho, não vai precisar fazer nenhuma traqueostomia. Ele está consciente, fala normalmente, orou junto à minha tia, e agradeceu a todos pelo carinho e orações. (risos)

O nosso Deus é fiel!
Não existe palavra no mundo para descrever essa certeza, esse amor em Cristo! É maravilhoso! O Meu Deus é comigo! O Meu Rei soprou a vida não só no meu irmão, mas também em mim. Eu não falo em línguas, mas eu tenho, sim, o Espírito Santo. É maravilhoso. Deus me deu exatamente o que eu pedi há tempo, um espírito forte e vencedor, para lutar e vencer! A certeza me move, não existe espaço para a dúvida.

Bispo, já gemi demais com a minha fé emocional. Quero fazer diferente agora, quero uma Fé Inteligente. Vou buscar incansavelmente e não vou desistir. Veja também como o Jejum me ajudou, estou forte!

Quero servir ao Meu Deus de forma inteligente, racional. Quero me fortalecer nessa fé para que os dardos inflamados do inimigo não me atinjam. Vou me revestir de toda a Armadura de Deus. Minha fortaleza será construída na Rocha firme, ouvir a Voz de Deus e obedecê-lO esse é meu desejo. E ganhar almas, sim, salvar almas! Eu vou nessa fé, pois tenho a plena e absoluta certeza de onde ela vai me levar.

Bispo, obrigada por não desistir das almas aflitas deste mundo, pois eu era uma.

Nas palavras que o senhor tem pregado há Verdade, e a Verdade me libertou. Obrigada

Vicente Neto

Bom dia, bispo Macedo. A minha situação está como a da Claudia, estou na Igreja e não vejo resultados na minha vida. O meu ser está se afogando em desespero. Ontem, por conta disso, nem conseguir buscar o Espírito Santo. Minha vontade era sair daquele lugar e não voltar mais, estava ficando angustiado, não conseguia ficar quieto. Meu coração está em lágrimas, estou desesperado, não sei o que fazer, pois já fui sincero com Deus quando o senhor estava orando ontem e não adiantou nada, não vi resultado nenhum na minha vida. Estou perdido e sem direção, estou sozinho e com muito medo. Estou perdendo a fé…

Resposta
Vicente, meu caro,
Você não está perdido, sozinho e sem direção. Não está perdido porque tem estado na Universal. Não está sozinho porque, apesar de seus muitos temores e desesperos, o Espírito do Altíssimo lhe assiste dia e noite sem cessar. Não está sem direção porque aí vai o que você tem que fazer JÁ!
Procure um pastor da Universal e peça-lhe para libertá-lo de tudo o que você relatou. Que ele imponha suas mãos sobre a sua cabeça e ministre a sua libertação espiritual.
Certamente, você se sentirá aliviado. Porém, isso não é tudo. Você terá de continuar a cavar o seu próprio poço para beber da Água da Vida.
Estarei orando por você.
Deus o abençoe como tem prometido àqueles que O buscam.

Leia mais:

1º Dia do Jejum de Daniel.
2º Dia do Jejum de Daniel.
3º Dia do Jejum de Daniel.
4º Dia do Jejum de Daniel.
4º Dia do Jejum de Daniel.
5º Dia do Jejum de Daniel.
6º Dia do Jejum de Daniel.
7º Dia do Jejum de Daniel.
8º Dia do Jejum de Daniel.

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

carina Responder 29 Setembro, 2015 às 0:44

Olá bispo não costumo fazer o jejum de Daniel,esse resolvi fazer e digo ao senhor foi a melhor coisa que eu fiz.