Mensagem

Carta de alguém da prisão perpétua na Ucrânia

Carta_prisao

Olá, bispo Macedo!

Meu nome é Serhiy Subotnii. Claro que o senhor não me conhece, mas creio que, pela vontade de Deus, chegou às minhas mãos o livro “Nos Passos de Jesus”, escrito pelo senhor.

Gostaria de testemunhar aquilo que aconteceu ao receber o livro.

Nasci em uma cidade pequena chamada Kertii, na Ucrânia. Cresci em uma família normal e estruturada, mas, com o passar do tempo, me deixei envolver com as coisas más da vida.

Comecei a roubar, beber, fazer coisas erradas etc. Até então eu sabia que Deus existia, mas isso não era interessante naquele momento. Hoje, porém, posso afirmar que Ele nunca Se esqueceu de mim, mas eu era cego e surdo para Ele.

Em 2003, fui preso e condenado à prisão perpétua. Na cela, havia eu e outro rapaz. Foi então que, nessa cela onde eu me encontrava, o rapaz lia a Bíblia diariamente. Aí ele começou a falar de Deus para mim, e eu comecei a me interessar.

No início, lia a Bíblia como um livro de história qualquer, mas, aos poucos, comecei a aceitar o verdadeiro significado do Evangelho, e lá “aceitei Jesus como meu Salvador”.

Mas, mesmo assim, carregava dentro de mim um ódio de uma pessoa. Isso durou algum tempo até que, em 2010, fui diagnosticado com tuberculose.

Estando eu nessa situação, Deus me mostrou que eu teria que tirar essa pedra da minha alma. Eu tinha certeza de que era Jesus falando comigo, porque no mesmo momento perdoei essa pessoa e um peso saiu de cima de mim. Senti uma paz inexplicável! Depois disso, comecei a pensar mais a respeito do batismo nas águas e na importância que teria na minha vida, pois seria uma decisão séria. Mas algo sempre me atrapalha e eu nunca tomava essa decisão.

Foi então que, alguns dias atrás, os voluntários do Centro de Ajuda (CdA) na Ucrânia nos visitaram. Com autorização, conseguimos reunir um grupo no pátio, dentro de uma cela, algo que antes era muito difícil. Quando o pastor estava nos dando uma Palavra, era notável como Deus falava através dele.

Como eles tinham distribuído todos os livros nas celas antes de nos reunirmos, sobrou apenas um que, graças a Deus, chegou às minhas mãos.

Nosso encontro ali foi maravilhoso, pois, costumeiramente, passamos 23 horas trancados em uma cela sem ver a luz do dia. Ao chegar à cela, na mesma noite, li todo o seu livro “Nos Passos de Jesus”, e Deus falou muito forte comigo. Naquela noite tomei a decisão de no encontro seguinte me batizar nas águas.

Liguei para a minha esposa e ela ficou muito feliz. Apesar de estar aqui há 13 anos e condenado à prisão perpétua, dentro de mim há uma alegria inexplicável, pois estou me preparando para esse batismo.

Agradeço a Deus por ter enviado os voluntários do CdA que nos acharam aqui e não medem esforços para ajudar o próximo.

Agora estamos aguardando o lançamento do seu livro “Nada a Perder 1”, que será realizado aqui no próximo dia 10 de maio de 2016.

Muito obrigado, bispo, por esse trabalho maravilhoso que o CdA tem realizado!

Serhiy Subotnii*, condenado à prisão perpétua.

Cidade de Summa, Ucrânia.

(*) Na foto, ele é o primeiro da esquerda que está segurando o jornal.

Colaborou: Bispo Júlio Freitas

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

4 comentários

Ideneide Rocha Responder 19 Abril, 2016 às 17:32

Post: Carta de alguém na prisão perpétua na Ucrânia.
Como é maravilhoso quando alguém ouve a palavra de Deus deixa essa palavra entrar trazer vida, embora esse moço tenha pego prisão perpétua, após o toque de Deus ele possui uma liberdade inexplicável.

Elaine Cristina Responder 19 Abril, 2016 às 17:35

Carta de alguém da prisão perpétua na Ucrânia

Como é importante os livros escritos pelos homens de Deus ,pois muitas vezes é a única maneira de chegar nos lugares mais hermos do mundo A maior prisão não é do corpo e sim da alma.

Jaqueline Souto Responder 19 Abril, 2016 às 22:03

Muito forte!
Como é importante o trabalho de evangelismo nos presídios!

Vera Responder 20 Abril, 2016 às 23:40

Deus é Maravilhoso