Mensagem

Como surgiu a Universal?

coreto

Tendo Salomão acabado de orar, desceu fogo do céu e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do SENHOR encheu a casa. 2 Crônicas 7.1

Quando meditamos no fato de que foi o holocausto e os sacrifícios que provocaram a descida do fogo e a glória do Senhor, como estamos aprendendo durante esses dias, entendemos por que a Universal faz a diferença em todo mundo: porque ela é um só fogo, um só Espírito, uma só fé.

Não é a suntuosidade das catedrais, não é a rede de comunicações, não é a habilidade de reunir multidões, mas sim o simples fato de um homem conhecer o Senhor Jesus e entregar sua vida no altar como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”. Isso provocou a descida do fogo no coreto, na funerária, na Abolição, em Duque de Caxias, em Padre Miguel, no Brasil e no mundo.

Hoje, esse mesmo homem não precisa necessariamente estar presente fisicamente em um desses lugares do mundo para que aconteça a descida do fogo. Concentrações são feitas por outros pastores e bispos, mas em função do “sacrifício vivo” permanecer no altar, o fogo desce e a glória de Deus é vista.

Assim temos que ser, pois se formos o “sacrifício vivo”, não importa as condições materiais de nossas igrejas, ali descerá o fogo do Senhor e todos verão Sua glória através da salvação, do novo nascimento, das curas e milagres na vida do povo. Não por conta de nosso carisma nem de nossa capacidade, mas por conta de nossa vida sacrificada no altar. Ao passo que, não adianta estarmos numa catedral, num estado ou num país com todas as condições, se não formos esse “sacrifício vivo”. Ali não haverá fogo e muito menos a glória de Deus será vista naquele lugar, e quem será prejudicado? O povo.

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12.1

Sigamos todos esses exemplos, se somos “sacrifício vivo”, veremos a glória de Deus em nosso ministério, onde colocarmos a planta dos pés. Se não somos o “sacrifício vivo”, não veremos a glória do Senhor em nosso ministério nem em área nenhuma de nossas vidas.

Deus os abençoe!

SergioCorreia1

bispo macedo
Bispo Edir Macedo
bispomacedo.com.br

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *