Mensagem

Cura dos Vícios em Nova Iorque

CuraViciosNovaIorqueO que se passa na mente de um viciado? O que estimula esse impulso destruidor por uma substância até mesmo contra a sua vontade?

Muitos tomam medicamentos constantes para viver com um vício reprimido. Por anos, eles se submetem a tratamentos, entrando e saindo de clínicas. Mesmo com tanto esforço, mais cedo ou mais tarde, eles acabam por ter recaídas para o desespero daqueles que os amam. Chega a um ponto que nem mesmo as pessoas mais queridas acreditam na sua recuperação.

Ao convidar pessoas na comunidade para o evento “The Last Hit” (“o último ‘pega’ na droga” ou “o último trago”), que aconteceu no dia 11 setembro, nos deparamos com um homem que por vários anos recebeu tratamentos para reprimir o seu vício. Ele passou grande parte da sua vida, aproximadamente 10 anos, tomando medicamentos e se tratando em clínicas, mesmo sem ter nenhuma esperança de cura para o crack e para a heroína. De acordo com esse homem, ele já escutou tudo o que tinha que escutar, e somente queria evitar os sintomas de abstinência, por isso fielmente tomava metadona por todos os dias, uma droga usada em clínicas.

Programas em países como a Inglaterra dão doses diárias de heroína para adictos em estado terminal. Esse tratamento os mantém fora das ruas, mas não os cura. Desse modo, eles estão cavando um buraco para encher outro que somente piora com o tempo.

De acordo com o bispo Formigoni, idealizador do tratamento para a cura dos vícios, que contou com a presença de mais de 1800 pessoas em Nova York, um pensamento constante controla a mente do viciado, dizendo: “Só mais uma vez, só mais um pouco, depois você para.” Ele mencionou que muitas pessoas julgam o viciado porque eles prometem parar, que irão se esforçar, mas no final se tornam piores do que no começo. Seus familiares os consideram mentirosos enganadores, dissimulados etc. Durante o evento, o bispo Formigoni explicou que eles não são mentirosos. De fato, fazem promessas sinceras, porém a pessoa não tem força para vencer a fissura, razão pela qual a medicina considera uma doença incurável, progressiva e fatal.

Então, como explicar as milhares de pessoas curadas neste tratamento pelo mundo afora? A cura dessas pessoas ocorre sem medicamentos, internações e recaídas. Esse resultado acontece quando a pessoa entende que a raiz do vício é espiritual e afeta a mente e a vida de uma pessoa. Arrancando a raiz, a pessoa encontra força para vencer. Por esta razão, o tratamento tem se provado eficaz e ajudado milhares de pessoas.

A Igreja Universal nos EUA abriu as portas para este tratamento que veio para transformar todo o povo de Nova York. Norte-americanos e pessoas de várias nacionalidades e religiões vieram de várias partes de Nova York, Nova Jersey, e outros cidades, como Filadélfia e Boston. Elas souberam do tratamento por meio de um programa em rede nacional apresentado pela Universal no país. Diversas pessoas que participaram do tratamento deixaram vários tipos de drogas no Altar para depois serem descartadas. Drogas como maconha, heroína, maconha sintética (K2), cigarros e bebidas variadas como tequila, cerveja e vinho.

A Universal, localizada em 1091 Fulton Street no Brooklyn, Nova Iorque, continuará o tratamento para a cura dos vícios todos os domingos, às 3 da tarde, com o especialista Alexandre Teixeira, que tem ajudado viciados a encontrarem a cura nos últimos três anos, seguindo o mesmo método do bispo Formigoni. Ele também é um ex-viciado curado dos vícios há mais de 20 anos; tem uma vida e um casamento feliz e dedica a sua vida a ajudar as pessoas a encontrarem a cura de qualquer vício.

Darryl Roberson, que participou do tratamento pela primeira vez, revela que na noite anterior se embriagou. Mas isso não o impediu de buscar ajuda. Ele diz que era Deus lhe dando uma oportunidade. Darryl participou do evento e diz que estará todos os domingos no tratamento.

Debra Ellis, do Brooklyn, foi outra pessoa que participou do tratamento. Ela veio representando o seu filho e a sua sobrinha, que são viciados no álcool e na maconha. Debra disse que também estará todos os domingos neste tratamento revolucionário para a cura dos vícios.

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *