Mensagem

De Altar a Altar

prayer-706x432O que fazer para nos manter de pé, mesmo em meio às tribulações que este mundo nos apresenta? Vida no Altar é a resposta para essa pergunta. A fé de Moisés, bem como sua comunhão com Deus, tiveram início quando ele teve a primeira experiência no Monte (Altar) Sinai.

“E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto, e chegou ao monte de Deus, a Horebe.”

Êxodo 3.1

Daí em diante, sua trajetória não foi um mar de rosas, de privilégios, muito menos da vida que levava no palácio onde foi criado. Sua vida, embora com conquistas, foi de desertos em desertos, desafios em desafios, lutas em lutas. Moisés precisou não só da fé conquistadora, mas sobretudo da confiança. Ele usava a fé para realizar os milagres e conquistar territórios, mas a confiança o sustentava nas tribulações, nos dias maus que vivia com tantas dificuldades e problemas.

A confiança é produzida pelo Espírito Santo, ela é a mantenedora da fé nas promessas de Deus, no dia a dia da vida, em momentos difíceis, em tempos de guerra contra os desejos da carne, contra o diabo e contra o pecado que nos assedia tenazmente.

Quantos momentos difíceis Moisés passou em meio ao deserto? Houve momentos de estresse total, por exemplo, quando ele se viu numa situação em que 600 mil homens choravam em frente a sua tenda com fome. O que fazer? (Números 11.11-15)

Embora Moisés tenha enfrentado muitas lutas e problemas durante sua trajetória no deserto, a fonte de sua disposição e fé para servir a Deus e ao povo de forma incansável vinha do Espírito de Deus, do Altar (monte), nos momentos a dois com o Pai. Deus o chamava continuamente ao topo do Sinai para o instruir e fortalecer.

“E, subindo Moisés ao monte, a nuvem cobriu o monte. E a glória do Senhor repousou sobre o monte Sinai, e a nuvem o cobriu por seis dias; e ao sétimo dia chamou a Moisés do meio da nuvem. E o parecer da glória do Senhor era como um fogo consumidor no cume do monte, aos olhos dos filhos de Israel. E Moisés entrou no meio da nuvem, depois que subiu ao monte; e Moisés esteve no monte quarenta dias e quarenta noites.”

Êxodo 24.15-18

O que mais me chama a atenção nessa meditação é que a CONFIANÇA, adquirida em sua comunhão com Deus nos montes, o acompanhou do início ao fim de sua vida. O Espírito Santo o sustentou por meio dela até seu último suspiro. Afinal, seu ministério começou no Monte Sinai (Altar) e finalizou também no Monte (Altar), no Monte Nebo.

“Tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escureceram os olhos, nem se lhe abateu o vigor.”

Deuteronômio 34.7

Assim temos que ser, o tempo não pode nos tirar a visão espiritual, ele não pode ser um inimigo da fé. E isso jamais acontecerá se estivermos com a vida no Altar, mantendo a confiança em Deus. O vigor físico pode se esvair, mas a disposição espiritual de servir a Deus se renova a cada manhã.

“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. ”

2 Coríntios 4.16

O Espírito de Deus, por meio da confiança, sustentou a fé de Moisés de Altar a Altar.

Colaborou: Bispo Sergio Corrêa

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *