Mensagem

DNA do inferno

O pecado tem sido a peste mais letal da face da Terra. Ele não só contaminou a raça humana e os animais, mas como todo o planeta Terra.

Só havia e há um jeito de eliminar a maldição do pecado: a morte do pecado. Mas como matar o pecado sem sacrificar o pecador? Somente através de um substituto do pecador que fosse perfeito ou sem pecado.

O substituto a ser sacrificado não podia estar contaminado de pecado. É como se alguém quisesse doar sangue impuro. Não poderia. Assim é com o substituto do pecador: tem de ser PERFEITO.

O animal inocente e perfeito sacrificado para cobrir a “nudez” de Adão e Eva tipificou o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. O sacrifício daquele animal serviu para manter a raça humana viva, mas enferma na alma e contaminada com o maldito DNA do pecado. Assim, a humanidade cresceu infectada.

Adão e Eva continuaram vivendo, mas SEPARADOS do Altíssimo.

Para que a raça humana pudesse VOLTAR à comunhão com Ele, Deus instituiu as Leis das Ofertas e dos sacrifícios. Tais Leis tinham de atender ao princípio da Fé. Imagine o pecador se aproximando de Deus com oferta de sacrifício na mão e cheio de ódio no coração? Seria isso possível?

Ofertas voluntárias, ofertas de sacrifício pelo pecado e pela conquista, ofertas alçadas dos sacrifícios pacíficos e todas as demais ofertas e dízimos têm seus objetivos distintos, porém, cada uma delas tem um significado distinto, mas todas carregam Um Só Espírito: O Espírito da Fé. Só tem coragem para subir no Altar e sacrificar aquele que o Espírito de Deus revela a Fé.

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *