Mensagem

Eu te odiava

odioSabe, descrever a pessoa que tanto te julgou e odiou é difícil, até sinto vergonha, mas vamos lá…

Cristiane, eu tinha ódio da sua voz, da sua simplicidade, da sua mansidão, enfim, do seu jeito de ser.

Eu tinha ódio quando você publicava sobre ajudar, saber mudar, lidar com situações de abuso de violência, de palavras ofensivas – eu simplesmente te odiava. Eu até tentava gostar de você, mas eu não conseguia!

Certa vez, eu a chamei de hipócrita aqui em seu blog e, em vez de entrar na minha, você se fez minha amiga e, ao contrário de mim, foi tão amorosa… Eu lhe ofendi com palavras, até lhe xinguei, sabe, e você, discretamente, escreveu ao lado das linhas que lhe ofendi o seguinte:

“Minha querida, sei o quanto você precisa de ajuda, estou aqui e vou orar por você.”

Aí é que me revoltei mesmo e falei “que nada, nem ore, vai perder tempo”. E, imediatamente, eu a excluí dos e-mails das minhas redes sociais. Pior que eu pensava estar bem. Não me dobrava para conselhos, para a ajuda de ninguém, o meu orgulho não me permitia.

Um certo dia, uma esposa de pastor pediu para que eu comparecesse a uma reunião de mulheres e, para a minha frustração, lá estava você e eu falei a mim mesma: “Tinha que ser ela!”. Mas, dessa vez, prestei atenção em suas palavras e chorei o tempo todo.

Confesso que hoje, se eu pudesse, lhe daria um abraço! Eu nem a conheço pessoalmente, mas te odiava dia após dia.

Foi através daquela palavra que você me deu que me arrependi de ter sido tão grossa… Fui tão sem valor quando lhe xinguei…

Não sou digna nem de estar aqui e receber sua atenção. Sinto vergonha enorme de lhe falar tudo que pensei e o quanto a julguei.

“Vou orar por você, pois é de oração que você precisa.”

Eu parei, li e chorei.

Falei a mim mesma: Como ela pode ser tão compassiva comigo, meu Deus?
Que tipo de pessoa sou eu?
Que ser humano tão sem valor sou eu?
O que posso fazer para ser melhor?

Agora posso revelar quem fui:
Eu fui uma jovem que foi abusada aos 12 anos e que cresceu revoltada com tudo e com todos. Fiquei viciada em bebidas alcoólicas, bebia dia e noite afogando minhas lágrimas em um copo de bar.

Eu fui, já não sou mais. Estou participando do G-Autoajuda e do curso da Cura Interior do Projeto Raabe.

Obrigada!

Francys Medeiros

Colaborou: Cristiane Cardoso

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Maria Responder 9 Fevereiro, 2016 às 21:37

Como faz a diferença uma mulher que tem o Espirito de Deus, foram palavras simples mas, cheia de amor paciencia, e compaxão isso e o que faz a diferença e o diabo não resiste!
Obrigada Sr por amar tanto o pecador, o perdido e necesitado e por os instrumentos que nos tem dado para cuidar e ganhar almas para teu reino