Mensagem

Falando do que não sabe

palavrasA maior ignorância é criticar algo que você não sabe nada a respeito. O mundo está cheio de ignorantes disfarçados de sábios. Críticos de plantão, de narizes empinados em seus pódios de ignorância, prontos para apontar o dedo e argumentar seu ponto de vista. Esquecem que um ponto de vista não é nada mais do que isso.

Cito apenas dois exemplos com os quais tenho experiência direta:

“Esse casal do Casamento Blindado só quer ganhar dinheiro vendendo livros. Duvido que eles vivem aquilo que falam na televisão.” — disse a troll em nosso Facebook. Não nos conhece. Nunca nos encontrou. Mas se acha conhecedora do que acontece dentro da nossa casa.

“Esse Templo de Salomão é uma abominação. O anticristo vai morar lá dentro. Deus não mora em templos feitos por mãos de homens.” — declaram os “entendidos no assunto”. Pela lógica deles, vamos ter de demolir todos os templos e igrejas no mundo (já que Deus não habita neles) e mandar quem crê em Deus ir se reunir debaixo de uma árvore mais próxima. Pela sabedoria deles, o anticristo já tem endereço aqui no Brás, em São Paulo. (Alguém avise o profeta Daniel e o Senhor Jesus que eles se equivocaram; não será em Jerusalém, afinal.)

Mas este post não é sobre defender os autores de Casamento Blindado nem o Templo de Salomão. É sobre você, eu e todos nós. É para nos ajudar a entender o ser humano um pouquinho melhor.

Infelizmente, o homo sapiens não é tão sapiens assim. Ele sofre de uma doença cujo sintoma principal é a crítica gratuita sobre o que não sabe. Algumas causas dessa doença:

Desconfiança: se é bom demais para ser verdade, provavelmente é mentira. Pode chamar de falso.

Inveja: se eu não posso ter o que você tem, posso criticá-lo pelo que tem.

Medo: seu sucesso me assusta e ameaça minha sobrevivência; preciso demonizar seu sucesso para garantir o meu.

Chamar atenção: sei que estou falando bobagem, mas o que importa é que serei famoso por 15 minutos.

Ignorância: mistura de burrice com preguiça de investigar a verdade.

Complexo de Piolho: vou pela cabeça dos outros. Afinal, se “fulano” falou isso, deve ser verdade.

Desconfiança, inveja, medo, carência de atenção, ignorância e não pensar por si próprio. Características humanas que todos nós temos. Por isso, somos todos culpados de um dia termos falado do que não sabíamos.

Mas agora que sabemos disso, não temos mais desculpas. Podemos ser melhores falantes e principalmente ouvintes. Nunca mais presumir que falar é sinônimo de saber.

Sócrates disse há 2400 anos:

A única e verdadeira sabedoria é saber que você não sabe nada. E saber que você não sabe nada o faz o mais sábio de todos.

Com certeza, alguém que sabia do que estava falando.

Colaborou: Bispo Renato Cardoso

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.pt

Tags:

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *