Mensagem

Fé para perdoar

perdoar-706x4109º Dia do Jejum de Daniel

Quem tem fé para perdoar tem fé para receber perdão.
Só quem tem o coração perdoado tem a autoridade para perdoar seus ofensores. Deus não pode perdoar nossos ofensores por nós. Tal poder imensurável pertence apenas aos enfermos de coração. Daí porque Ele nos obriga a perdoar.

Só quem tem o coração livre de mágoas pode querer o bem de outros. Como uma alma cheia de mágoas pode abençoar alguém ou lhe desejar algo de bom?

O cristão pode ter fé para conquistar um bom casamento, ter fé para conquistar o sucesso econômico, a cura Divina, enfim, ter fé para ganhar o mundo inteiro, mas, se não tem fé para perdoar, não terá fé para alcançar perdão. Afinal de contas, está escrito e determinado:

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.

Mateus 6.14,15

Veja os números que não mentem:

Na parábola do Credor Incompassivo (Mateus 18.23-35), o Senhor Jesus deixa claro que a nossa dívida em relação a Ele é infinitamente menor do que as que contraímos entre nós, míseros humanos.

Veja os números: o primeiro servo devia ao Rei 10 mil talentos;
1 talento é igual a 6 mil dias de trabalho (6 mil denários);
A dívida desse servo era igual a 10 mil talentos vezes 6 mil denários = 60 milhões de denários;
Significa que esse servo teria de trabalhar 60 milhões de dias para pagar sua dívida. Portanto, ele deveria viver e trabalhar aproximadamente 165 mil anos.

O segundo servo devia ao primeiro apenas 100 denários, isto é, a mixaria de pouco mais de três meses de trabalho. Mas ele não o perdoou.

O que o Senhor Jesus deixa claro é que as nossas dívidas com Ele são impagáveis. Mesmo assim, diante da nossa humilhação e confissão de pecados, Ele nos perdoa.

Em compensação, Ele exige que nós perdoemos as faltas, falhas e erros uns dos outros. Do contrário, jamais encontraremos Seu perdão também.

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *