Mensagem

A inteligência da Fé

pensamento-706x432

 

“Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.”

Mateus 12.34,35

Os hipócritas são raça de víboras. É assim que o Senhor Jesus considera as pessoas más que falam coisas boas: “Como vocês dizem coisas boas sendo maus?”

A boca expressa da abundância que há no coração: se a boca fala coisas boas, significa que o coração está cheio de coisas boas; mas se a boca fala coisas más, significa que o coração está cheio de coisas más. Sabendo disso, mesmo que a boca seja de um irmão, se ela diz coisas más, o seu coração é mau. Então, quem for sábio, foge desse irmão. Esta é a fé inteligente.

A curiosidade de Adão e Eva deu origem ao pecado. O mesmo acontece quando o cristão se interessa em ouvir a história de outro caído. É costume do caído na fé ter interesse em levar outros consigo para caírem também. Este foi o espírito de Satanás para com Adão e Eva. Porque foi excluído da presença de Deus, ele quer levar o máximo possível de pessoas da fé a serem excluídas também.

Infelizmente, o mesmo se dá em relação aos fracassados na fé. Têm inveja dos que estão na fé e querem trazê-los para a mesma situação também.

Quem dá atenção aos maus também será mau. Quando se cultiva a fé inteligente não se presta atenção às más palavras nem se tem curiosidade em saber de suas razões.

O Senhor Jesus conclui Sua advertência, dizendo:

“Mas Eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do Juízo. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.”

Mateus 12.36,37

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *