Mensagem

Médica salva médica

Bom dia, bispo!

Antes de tudo, quero agradecer ao senhor pela direção que nos tem dado, através do Espírito Santo, principalmente com relação a ganhar almas.

Uma paciente de 72 anos, com câncer, veio até nós para realizar tratamento. Trata-se de uma diretora e uma das maiores cirurgiãs plásticas de um grande centro hospitalar de Portugal, formou muitos médicos especialistas no país e no exterior, e é muito conhecida internacionalmente. Apesar dos títulos, sempre foi simples e disciplinadora, mas nunca arrogante. Eu já a conhecia há alguns anos, na altura, ela também foi diretora dos médicos que faziam especialidades, inclusive eu.

Um dia, ela entrou no gabinete, e eu tinha o livro do Templo de Salomão aberto na página com o candelabro com o Nome de Jesus (YESHUA), e ela quis saber o significado, expliquei o que retratava e falei também sobre o livro de Êxodo. Ela gostou tanto que me pediu um exemplar.

Daí em diante, fui falando da importância da Salvação. Ela aceitou ir à Universal comigo e, logo no primeiro domingo, saiu radiante e feliz, e disse: “Muito obrigada por me apresentar esse Deus que eu não conhecia”. Durante os quase 3 meses que ela frequentou a igreja, ia aos domingos, sextas e quartas-feiras, cumpria todos os votos, se tornou dizimista e ofertante. Os dias que mais amava era domingo e quartas-feiras, na Noite do Noivo, que ela dizia sentir-se nas nuvens. Nunca questionou o dízimo nem a oferta, pois dizia que, quando é para Deus, é um prazer dar.

Era católica e, por si mesma, decidiu se desfazer de todas as imagens que tinha em casa. Adquiriu uma Bíblia e acompanhava atentamente tudo o que o pastor pregava, e quando o pastor não citava o capítulo nem o versículo, ia ter com os obreiros para tomar nota e ler em casa. Foi à livraria da igreja e fez perguntas sobre o significado do Mezuzá e colocou um em sua casa. Com menos de 2 meses batizou-se nas águas, aceitou o Senhor Jesus e, ao sair da submersão, sorriu de alegria e dizia, olhando para o alto, “excelente…excelente”. Foi tamanha a alegria que ela queria cumprimentar e abraçar toda as pessoas, nem se importou com a água fria, mesmo com uma grande intolerância ao frio por causa do tipo de quimioterapia que fazia, de tal maneira que andava agasalhada, mesmo com temperaturas de 25ºC.

Mesmo debilitada fisicamente, ainda operou o último paciente há 2 semanas, depois o seu estado clínico agravou e ela faleceu há 4 dias, tranquilamente. Creio que foi para os braços do Senhor Jesus.

Resumindo: em menos de 3 meses, ela conheceu o Senhor Jesus, perdoou e pediu perdão, tirou as imagens de casa, se tornou dizimista e ofertante, batizou-se nas águas e nunca faltou nenhuma quarta-feira à igreja (creio que teve um encontro com Deus). Priorizou a Salvação.

Ao contrário de uma outra paciente que há uns anos foi curada de câncer no leito do hospital, mas desprezou o meu convite para ir à Universal, e então a doença voltou de forma mais agressiva, e ela faleceu 2 anos depois. Já em agonia, pediu que lhe pusessem na boca um gelado para aliviar o calor no seu corpo (tal qual o rico pediu a Lázaro).

Bispo, é como o senhor disse uma vez chorando: Ao menos uma alma!
Vamos ganhar almas!

Um forte abraço, bispo!
Beijos para a dona Ester.

Albertina

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *