Mensagem

O mal que entra pelos olhos

olhos

O ser humano tem o dom de achar erros nos outros. Talvez mais uma doença do que um dom, na verdade. Há quem encontre erro até em Deus, como os que acharam defeitos em Jesus quando andou nesta Terra. E foi Ele mesmo Quem nos alertou sobre os perigos desta doença:

Se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão. Mateus 6.23

Quer dizer, eu posso não saber que você tem maus olhos para comigo. Portanto, seus maus olhos não me afetarão. Mas a você, sim. Como?

Quando temos maus olhos para com alguém, começamos a procurar defeitos nele. A ordem que damos ao nosso cérebro é: “Essa pessoa é má. Encontre provas disso.” Daí começamos a ver tudo mau:

A pessoa chegou atrasada? É preguiçosa.
Chegou cedo? Quer se mostrar para o patrão.
É bonita? Tá se achando. É feia? Bem feito!
Tem dinheiro? É ladrão. Não tem dinheiro? É um zé ninguém.
Faz boas obras? É só para inglês ver. Não faz boas obras? É egoísta.
Destaca-se pelo que faz? Quer aparecer. Não aparece? É um zero à esquerda.

Essa busca por defeitos não tem fim. Você se torna uma pessoa amarga, odienta, rancorosa, cuja língua só tem veneno. Se você tem maus olhos para com alguém, não há como esse alguém lhe agradar. O problema está com você, não com a outra pessoa.

Seu estado é tão sério que as vítimas dos seus olhos maus nem precisam puni-lo, criticar ou se defender. Você já tem a própria punição: a escuridão que há aí dentro de você. Uma raiva que nunca acaba. Uma pessoa amarga que só consegue atrair amigos iguais a você — que odeiam as mesmas pessoas. Um sentimento de que você é o único “perfeito”, mesmo sabendo que tal coisa não existe.

Mas por que você não enxerga isso?

Ah, desculpe a pergunta, me esqueci de que você está na escuridão.

RenatoCardoso1

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.com.br

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *