Mensagem

O que aprendi com a mamãe (III)

cristiane

Sabe uma coisa bem legal que me esqueci de mencionar aqui? Minha mãe aprendeu tudo que me ensinou com a mãe dela. 🙂 Quer dizer que essas preciosidades são passadas de geração a geração. E, no meu caso, de geração a muitas e muitas outras gerações 🙂 (mais um porquê de eu gostar tanto desses sorrisinhos!).

O primeiro post foi sobre respeito, que teve de se estender ainda mais no segundo post, que era para ser só sobre como ser uma boa dona de casa. E agora o terceiro post dessa série é sobre honrar o seu marido.

Pois é, quem diria, né? Honrar o seu marido. Parece uma piada para muitas! Já posso até ver o franzido na testa de algumas, dizendo: “O quê? Honrar só a Deus!!!”

Interessante como hoje em dia tudo que é para o marido é piada… A gente não tem problema em honrar os filhos. Às vezes, o filho está atrás das grades e a mãe vive honrando-o dizendo: “Ele é um bom menino, se envolveu com más companhias, mas tem um coração bom…”

As pessoas honram até pessoas desconhecidas, como as celebridades. Seguem e curtem tudo delas e ainda vivem elogiando… “Gente, como eu admiro a Gisele Bündchen, ela é linda!”

Mas o marido não. Ah, ele não. Nele, elas só veem o que não serve: aquela barriga grande; a bagunça que ele deixa por onde passa na casa; o fato de ele não gostar das coisas que ela gosta; o fato de ele quase nunca ter diálogo com ela; e por aí vai.

Se a única pessoa neste mundo que decidiu sacrificar a sua independência de solteiro para ficar ao seu lado não é digna de honra, quem é, hein? A celebridade que nem sabe da sua existência, ou o filho que não está nem aí para a vergonha que lhe faz passar?

E sabe qual é a pior consequência desse conceito errado de muitas mulheres? É que elas deixam de ser honradas pelos seus maridos também. Sabe aquele marido que não valoriza a mulher que tem?
Ele provavelmente não é honrado em casa.

Cresci vendo a minha mãe honrar o meu pai. Na época em que ele não tinha tempo para estar conosco, ela dizia que ele estava ajudando as pessoas e por isso não podia brincar, e nós entendíamos muito bem, e até o admirávamos. Nunca vi minha mãe reclamando que o meu pai não tirava tempo pra gente, mesmo que, no princípio, isso fosse verdade. Nunca vi minha mãe falando mal do meu pai, nem pra gente nem pra ninguém. Pelo contrário, ela sempre o elogiava na nossa frente e para as outras pessoas.

Sabe o que ela conseguiu com isso? Um marido admirável, que não só é admirado pelos filhos, como também por milhões de pessoas. A gente tem o marido que merece, amigas… pensem nisso.

Leia também:
O que aprendi com a mamãe (I)
O que aprendi com a mamãe (II)

Cristiane

bispo macedo

Bispo Edir Macedo

bispomacedo.com.br

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *