Mensagem

Parecia impossível mudar…

Na minha infância eu me sentia muito sozinha, isolada. Meus pais não eram muito presentes, sempre trabalharam muito.

Eu ficava em casa sozinha, até que passei a ver vultos, ouvir vozes, e me tornei uma pessoa agressiva, estressada. Sempre assistia a filmes de terror e era como um alimento para mim.

O tempo foi passando, aos 12, 13 anos, passei a me relacionar com uma menina da escola. Isso era para tentar preencher aquele vazio que havia dentro de mim, aquela dor interna. Constantemente me cortava, mas ainda assim nada disso me preenchia.

Nutria desejos de suicídio, muitas das vezes cheguei a ir numa passarela para me jogar, até mesmo em casa pegava a faca para tentar me matar. Eu me sentia inútil, desprezada por todos. Desenvolvi depressão, não queria falar com ninguém, vivia no canto sozinha e isolada, a vida já não tinha mais sentido para mim. Eu só pensava em arrumar um jeito para morrer.

Até que um dia conheci uma obreira, ela estudava na mesma escola que eu e passou a me convidar para as reuniões da Universal, eu até ia às reuniões com ela, mas eu estava interessada nela, sentia atração por ela. Porém, teve um dia que ouvi um testemunho fortíssimo e parei para analisar a minha vida, eu estava totalmente morta e cega espiritualmente. O que eu estava fazendo da minha vida? Será que me matar era realmente a saída? Não, não era! Ali minha ficha caiu. Eu vi que precisava me entregar para Deus e recomeçar uma vida diante dEle.

Resolvi me entregar de fato e de verdade, entrei para a Força Jovem Universal (FJU), me batizei nas águas, as obreiras me ajudaram, me orientaram e eu sempre colocando tudo em prática, pois estava disposta a mudar totalmente. Logo recebi o Espírito Santo e hoje sou uma nova criatura.

Toda vez que olho as marcas físicas do passado no meu corpo me lembro de onde Deus me tirou. Não preciso me cortar para preencher o vazio, pois já não existe mais. Nem tenho vontade de me matar. Hoje eu sei que vale a pena viver!

Rayssa Marinho, 18 anos

Colaborou: Bispo Marcello Brayner

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *