Mensagem

Parecia impossível sobreviver

Bom dia, bispo!

Extrovertido, alegre, animado e cheio de vida. São algumas das características que eu tinha quando adolescente.

Vivia em um lar harmonioso, feliz, bem estruturado e cercado por pessoas que me davam muita atenção e carinho. Mal sabia eu que tudo isso iria desmoronar.

Com 16 anos, ao sair de um supermercado, com a minha bicicleta, fui atropelado por uma moto e fui levado às pressas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, localizado no bairro da Penha, cidade do Rio de Janeiro.

Devido ao impacto produzido pelo acidente, dei entrada no hospital com perda de massa cefálica, afundamento craniano e com 5% de vida. Fiquei 15 meses internado, sendo 2 meses em coma profundo e 7 meses em coma vegetativo, movimentando apenas os olhos.

Segundo os médicos, eu iria ficar tetraplégico por toda a vida. Isso se eu sobrevivesse. Mas as sequelas seriam inevitáveis. Sem andar, sem correr, sem ser aquele jovem feliz e alegre de antes. Estava condenado a passar o resto da minha vida entrevado em uma cama.

Mesmo em meio a tantas palavras de dúvida e medo, meus pais nunca desistiram de lutar por mim, pela minha reabilitação. Com a ação da fé no Deus Vivo e Verdadeiro, tive a minha recuperação – para espanto de toda equipe médica do hospital.

Hoje faço parte da Força Jovem Universal (FJU), onde encontrei pessoas que estavam dispostas a me ajudar, não só na parte física, mas, principalmente, na parte espiritual. E isso teve um significado muito importante para o meu restabelecimento.

Hoje, além de ter conquistado a minha cura e estar 100%, sou um jovem ainda mais feliz. Conheci Quem me preencha de verdade: Deus. E descobri que vale a pena viver. Aquele que parecia ser um caso impossível, hoje é um milagre.

Jonathan Oliveira, 19 anos

Colaborou: Bispo Marcello Brayner

Bispo Edir Macedo

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *