Mensagem

Poderá alguém imitar Deus?

luz

“Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e Se entregou a Si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave.” Efésios 5.1-2

Estava meditando nesses versículos, sobre o que o Espírito Santo nos fala por intermédio do apóstolo Paulo, e veio-me ao pensamento aquelas pessoas que dizem: “O sacrifício não é necessário.”; “Deus não Se agrada do sacrifício.”, ou ainda, “Isso era no Antigo Testamento; os que vivem na Graça não precisam sacrificar…”

É claro que uns falam porque não conhecem; outros, porque não creem; outros, porque não querem…

Mas, a minha primeira pergunta é a seguinte: Será que existe alguém que esteja mais na Graça do que Paulo estava, quando escreveu essa Epístola?

Vejamos o que ele nos diz: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados…”

Ele se refere ao Deus-Pai.

A segunda pergunta é: Em que poderemos nós imitar Deus?

Lúcifer quis ser como Deus e foi amaldiçoado para sempre. Adão comeu do fruto, porque lhe foi dito que se o fizesse saberia tanto como Deus, e perdeu toda a autoridade, abrindo a porta para o pecado.

A única coisa em que nós podemos ser imitadores de Deus é no Sacrifício. Ele deu o maior bem que tinha, o Seu Filho bem amado. Ele não sacrificou uma estrela, um planeta ou ainda um anjo. Deus deu o que de mais valioso tinha, e tudo isso para alcançar o Seu objetivo, que é a Salvação do maior número de almas.

Para sermos imitadores dEle, e para alcançarmos os nossos objetivos, nós temos que fazer a mesma coisa: colocar no Altar o que temos de maior valor, que é o Sacrifício material e físico.

Já no versículo 2, ele fala da entrega total e pessoal, convidando-nos a imitar o Senhor Jesus, que Se entregou como sacrifício de aroma suave e agradável a Deus.

“E andai em amor, como também Cristo nos amou e Se entregou a Si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave.”

Aquele que fizer essas duas coisas, estará fazendo o perfeito sacrifício. Não tem como não dar certo, porque Deus não falha. Neste, o diabo não poderá tocar, porque ele é a própria oferta santificada pelo Altar e, consequentemente, todas as portas fechadas se abrirão.

Que o Deus de Abraão, de Isaque, de Israel e da Universal abençoe a todos!

vitorsilva2

bispo macedo

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.com.br

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sem comentários

João Marques (Portugal) Responder 10 Julho, 2013 às 19:20

É necessário sacrificar, não podemos isolar versiculos e colocar esses versiculos fora do contexto para dizer que não é necessário sacrificar.
Há inclusivé muitas atitudes no Novo Testamento que não têm o nome de sacrificio, mas a atitude demonstra que houve sacrificio.
Estava agora a lembrar-me do caso dos Filipenses a quem Paulo disse:
“Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus.” Filipenses 4 : 18
Por outro lado temos que ser inteligêntes para aplicar o sacrificio dentro do contexto Biblico para não cairmos no mesmo erro de Saul.