Mensagem

Que canseira que nada!

womanE dizeis ainda: Que canseira! Malaquias 1.13

Meditando no livro do profeta Malaquias, me torno mais admirador da mensagem que este livro nos traz. Apesar de o Templo de Salomão ter sido reconstruído naquela ocasião, a maioria do povo de Israel e seus sacerdotes se corromperam e passaram a apresentar ofertas – expressão de suas próprias vidas – defeituosas e sem nenhuma mostra de reverência a Deus.

A reconstrução do Templo certamente trouxe muita alegria para todos. Mas, com o passar do tempo, todos foram percebendo que o Templo acabou trazendo consigo uma necessidade de santificação e obediência maior tal e qual aquela geração nunca havia vivenciado. Acredito que Deus permitiu a reconstrução do Templo por esse motivo, pois era mesmo para aproximar mais o Seu povo de Si.

No começo, foi tudo muito especial, e ambos – Deus e Seu povo – estavam recebendo as honras devidas. O povo honrava a Deus com obediência expressada nos dízimos e ofertas perfeitas, e Deus honrava o povo com paz e prosperidade.

Foi então que, depois de certo tempo, veio o problema: a canseira!

Não foi uma canseira física, e sim espiritual. Sabe aquela coisa de devolver o dízimo de TUDO todo tempo, ofertar a oferta PERFEITA todo o tempo e, ainda mais, SER por todo o tempo o dízimo e a oferta colocados sobre a Mesa do Senhor?

O que no começo – a era do primeiro amor e da primeira fé – era feito sem reclamações, com pureza e alegria (Salmo 100.2), acabou se tornando um fardo pesadíssimo.

A consequência ficou visível: dízimos não devolvidos e ofertas imperfeitas!

Deus então reclama da falta de consideração, de respeito e de inteligência do Seu povo, que acabou esquecendo que o sucesso que havia alcançado tinha vindo de Deus, como honra àquilo que havia feito de correto no passado. As honras de Deus já não vinham mais, e o povo sofreu com isso.

Pensando no que leva uma pessoa a se “CANSAR” de fazer o certo, de fazer o que agrada a Deus e de fazer o que traz a honra de Deus para a sua vida, conclui que só há uma razão para isso: a falta da Salvação no coração da pessoa!

Ora, se a pessoa é salva, e Salvação significa uma vida para agradar e servir a Deus por toda a Eternidade ou um tempo sem fim, o real candidato a esta “Honra das honras” deve sentir-se um privilegiado por ser quem é e fazer o que faz para Deus, e, até mesmo, deve aspirar por mais responsabilidades, enquanto vivo estiver.

Tudo deve ser recebido com alegria e feito na fé de que com as responsabilidades vêm as condições. Frequência na igreja, evangelismo, devolver o dízimo, ofertar a oferta perfeita (sempre o melhor – independentemente do valor), participação nas campanhas de fé, perdoar, amar a todos (até os que nos odeiam) e obedecer a Deus sempre são coisas que não cansam quem já vive a Eternidade com Deus pela fé.

E na pior das hipóteses, se bater um “cansaço”, a Palavra de Deus para estes diz: Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam. Isaías 40.29,30

Força, companheiros!!!

Colaborou: Bispo Randal Filho

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.pt

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *