Mensagem

Um pensamento

money

Veio, pois, Naamã com os seus cavalos e os seus carros e parou à porta da casa de Eliseu. Então, Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo. Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o Nome do SENHOR, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso. 2 Reis 5.9-11

Por que Naamã pensava e cria que Eliseu sairia rápido a recebê-lo?

A meu modo de ver, duas coisas o faziam pensar isso:

1- Ele era um general, e não qualquer general, mas estava acostumado a que todos se sujeitassem a ele na hora e no momento que ele quisesse;

2- Ele estava carregado de riquezas, trazia consigo mais de 340.000 kg de prata, 6.000 peças de ouro e 10 vestes festivais, dinheiro suficiente para encher os olhos.

Em sua cabeça, diante de tanta pompa, o profeta se renderia aos seus apelos e logo o atenderia. Coisa que não aconteceu.

Assim são muitos os que pensam que podem comprar os favores de Deus porque estão acostumados a comprar sua mulher com presentes e boa vida para esconder sua própria vida promíscua e suja. Outros que pensam que compram o amor de seus filhos com escolas caras, festas, viagens e roupas para tratar de justificar sua ausência e não ter que fazer o papel de pai ou mãe. Enfim, acreditam que podem fazer o que quiserem, sem ter de dar contas dos seus maus hábitos e que até Deus tem que sujeitar-Se a eles e abençoá-los em seus pecados, pois se julgam boas pessoas e, claro, estão sempre “colaborando na igreja”. Mas estão completamente cegas em seu orgulho.

Infelizmente, até muitos homens que um dia talvez tenham sido de Deus, o que eu duvido, foram cegados pelo ouro e acabaram por perder a visão da fé, ou seja, do Altar, e por isso se corromperam.

Quantos não foram para abrir seus “próprios ministérios”?
Quantos são os que fazem distinção de pessoas devido a seu aspecto ou sua condição econômica? Eles são como Geazi que, quando viu que o homem de Deus não aceitou ser subornado pelo poder e muito menos iludido pelo ouro de Naamã, ele mesmo foi atrás de Naamã e lhe pediu dinheiro e vestes festivais. 2 Reis 5.20-27

O fim dele foi e é exatamente o mesmo de todos os que têm os olhos no ouro e não no altar, que valorizam mais coisas ou pessoas que a Deus, terminam leprosos e amaldiçoando não apenas suas vidas senão a de sua própria família, claro, dos que seguem seus objetivos obscuros.

No fundo de tudo, o maldito orgulho e o espírito do engano que reina nesse mundo e dentro das igrejas, os fazem dar mais valor ao ouro do que ao altar. São cegos…

Não é à toa que o Salvador disse: Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro ou o santuário que santifica o ouro?… Cegos! Pois qual é maior: a oferta ou o Altar que santifica a oferta? Mateus 23.17,19

Graças a Deus pelos “Eliseus” de hoje que, apesar dos apelos desse mundo, têm se mantido fiéis ao seu chamado e a sua fé, preferem “perder” para esse mundo e ganhar com Deus!

Quem você tem sido: Eliseu ou Geazi? Onde estão postos seus olhos?

Que Deus tenha misericórdia de todos nós e nos dê a humildade de entender essa direção que o Espírito Santo tem dado a sua igreja!

Colaborou: Bispo Franklin Sanches

Bispo Edir Macedo
bispomacedo.pt

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *