Mensagem

4 coisas simples, mas muito importantes!

confiarHá coisas que são indicadoras da posição em que nos encontramos, pois, com Deus, não existe meio termo…

OU É OU NÃO É… não há meio termo com Deus e, quando muitos estão “em cima do muro”, Deus faculta importantes lições para que venhamos a tomar consciência das nossas atitudes, se as mesmas são certas ou erradas, à luz da Sua Palavra.

“Ao sexto dia, colheram pão em dobro, dois gômeres para cada um; e os principais da congregação vieram e contaram-no a Moisés. Respondeu-lhes ele: Isto é o que disse o SENHOR: Amanhã é repouso, o santo sábado do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobrar separai, guardando para a manhã seguinte. E guardaram-no até pela manhã seguinte, como Moisés ordenara; e não cheirou mal, nem deu bichos.”

Êxodo 16.22

Quando Deus Proveu o maná para o povo de Israel, estabeleceu regras, para colocá-los à prova, para ver qual seria a sua conduta. De domingo a sexta-feira, o Senhor enviava o maná, que poderia ser recolhido apenas na porção designada, pois, caso fosse recolhido a mais, apodrecia. Porém, no sexto dia, Ele Ordenou que fosse recolhida a porção dobrada, mas que não apodrecia ou criava bicho, pois era para ficar para o dia seguinte, o grande e esperado Sétimo Dia, o Dia do Descanso…

Todavia, existe um significado mais profundo ligado a tudo isto, pois, quando Deus disse que durante os cinco primeiros dias da semana o povo deveria apenas recolher a porção de maná necessária para um dia e, no sexto, recolheria a porção dobrada, fê-lo com a intenção única de provar a fidelidade do povo à Sua Lei. E porquê? Porque o ser humano, pela sua natureza adâmica, tem tendência a não Confiar, a não ser Obediente, a não ser Dependente e a não ser Disciplinado.

Este é um importante episódio bíblico, que retrata bem a relevância dos QUATRO PRINCÍPIOS que se seguem para que a nossa relação com Deus seja bem-sucedida.

1ª – Confiar n’Ele

O princípio da confiança não é fácil de aplicar para o ser humano. Quando somos crianças, o nosso nível de confiança, habitualmente, está a 100%, pois não temos motivos para desconfiar dos outros, porém, à medida que vamos crescendo, vamos não só acumulando experiências negativas, como também escutando das vozes mais experientes alertas de “cautela”, “atenção” e “cuidado”, pois o mundo é um local perigoso e nem todos são merecedores ou dignos da nossa confiança.

Depois, o que aconteceu? Veio o amor… e quando você casou, confiou a sua vida, porque tudo o que a outra pessoa lhe disse você acreditou, creu que era verdade, por isso uniu a sua vida a ela em matrimónio. Não é verdade? Pois bem, ainda mais tem que ser com Deus, você tem que crer na Palavra d’Ele, confiar n’Ele acima de tudo e de todos e não na sua própria força, conhecimento ou sabedoria.

“Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem.”

Salmos 56.11

Continua na próxima quarta-feira…

Bispo Júlio Freitas
juliofreitas.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Margarida Nascimento Responder 22 Abril, 2015 às 18:27

è uma palavra que nos alerta para vivenciarmos a cada dia a confiança no Deus altissimo visto que a todo o momento nos deparamos com a malicia,a traição ,osdissabores de uma relação frustrada pela desconfiança no dia-a -dia .