Mensagem

A 5ª carta, a arma secreta!

As 4 primeiras cartas vieram seladas, porém, a 5ª carta enviada vinha aberta… carta

Então, Sambalate me enviou pela quinta vez o seu moço, o qual trazia na mão uma carta aberta, do teor seguinte: Entre as gentes se ouviu, e Gesém diz que tu e os judeus intentais revoltar-vos, por isso reedificas o muro, e, segundo se diz, queres ser o rei deles, e puseste profetas para falarem a teu respeito a Jerusalém, dizendo: este é o rei de Judá…” (Neemias 6.5-6)

Observe que a passagem bíblica apenas refere Sambalate e Gesém, mas não se tratava de uma trindade? Então, onde estava Tobias enquanto Sambalate e Gesém enviavam cartas para tentar tirar Neemias de Jerusalém?

É precisamente aqui que vemos a forma de agir do diabo… ele atua na penumbra, de forma astuta, furtiva, pelas costas. E se ele não atinge os seus objetivos da primeira vez, ele vai buscar ‘reforços’ e, se a pessoa não é espírito, corajosa, perseverante, acabará por ser atingida e, eventualmente, cair.

E o que significará a carta aberta? Imagine, se hoje em dia receber uma carta aberta já é motivo de preocupação sobre quem terá conhecimento do seu conteúdo, no passado, esta ‘desconfiança’ era certa, pois, receber uma carta aberta simbolizava isto mesmo: que todos já eram conhecedores do seu conteúdo. Então, tratava-se de uma provocação, de uma ameaça, de exercer a maior pressão possível e imaginária.

O diabo, através da carta aberta de Sambalate, tentava intimidar, acusar, confundir e perturbar Neemias, servindo-se da mentira e da deturpação dos factos. E, se Neemias tivesse dado ouvidos, teria agido de forma precipitada, tomado uma decisão antecipada e com base na ansiedade. Observe que o diabo 1º zombou, em 2º lugar ameaçou e em 3º lugar USOU A SUA MAIOR ARMA, ACUSOU! Pois esta é, sem sombra de dúvida, a sua maior arma!

Ele, então, tentou colocar Neemias contra si mesmo, contra a sua Fé-inteligente e contra o Próprio Deus! Mas Neemias era e estava decidido!

Mandei dizer-lhe: De tudo o que dizes coisa nenhuma sucedeu; tu, do teu coração, é que o inventas. Porque todos eles procuravam atemorizar-nos, dizendo: As suas mãos largarão a obra, e não se efetuará. Agora, pois, ó Deus fortalece as minhas mãos.” (Neemias 6.8)

Contrários ao Espírito que estava presente em Neemias, os seus inimigos, acomodados, covardes e mentirosos, recorriam às desculpas, à mentira e ameaças… tudo para que Neemias abandonasse a sua obra e saísse de Jerusalém-IURD, tornando-se como eles. Porém, Neemias contrariou, pedindo o fortalecimento das suas mãos a Deus para completar a obra! Tal como nós, que devemos fazer a obra completa e não deixá-la em ruínas, com brechas e sem portas! E, ao concluir a obra por si mesmo, também terá que, individualmente, lutar contra Sambalate, Tobias e Gesém, a trindade do mal, que simbolizam a zombaria, a ameaça e a acusação. Como? Fazendo uso da Trindade de Deus: o Seu Espírito, o seu Nome e a Sua Palavra. Foi por este motivo que Neemias pediu apenas uma coisa: MAIS FORÇA!

Repare que Neemias detectou que tudo o que eles diziam provinha de um coração cheio de incredulidade, inveja, orgulho, medo e hipocrisia. Não foi por acaso que o Próprio Deus Afirma que o coração é desesperadamente corrupto. Se não podemos nos deixar influenciar pelo nosso coração, muito menos pelo coração dos outros: “do teu coração, é que o inventas”, ou seja, o coração inventa!

Bispo Júlio Freitas
juliofreitas.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

Nina Dos Santos Responder 6 Outubro, 2014 às 18:49

Concertesa não nos podemos deixar intimidar pelas armadilhas do inimigo, confiar somente em Deus e ouvir a sua voz e a sua direção. Pois ele é que nos dá força para lutar e construir o nosso futuro para o bem e a verdade.

Nina dos Santos Amsterdam Holanda