Mensagem

A intenção do coração

“E, partindo dali, encontrou-se com Jonadabe, filho de Recabe, que lhe vinha ao encontro, ao qual saudou e lhe perguntou: O teu coração é sincero para comigo como o meu o é para contigo? Respondeu Jonadabe: É. Então, se é, disse Jeú, dá-me a tua mão. E ele lhe deu a mão; e Jeú fê-lo subir consigo ao carro, e disse: Vem comigo, e vê o meu zelo para com o Senhor.” (2 Reis 10.15)

Se analisarmos, a única pergunta que Jeú fez a Jonadabe foi se o coração dele era sincero como o seu, e é exatamente isto que Deus procura: a sinceridade. Ele quer encontrar pessoas que tenham a mesma sinceridade para com Ele, assim como Ele tem para com cada um de nós.

Essa sinceridade é vista através dos dízimos e das ofertas. Há muitas pessoas que estão na Igreja mas não são honestas para com Deus, ou seja, não praticam a Sua Palavra, tentam enganar a Deus, mas, na realidade, estão a enganar-se a si mesmas.

Tentam, através da caridade, muitas vezes, abafar o pecado, os seus erros, ou seja, até dão o dízimo, mas não são sinceras, porque Deus não quer só o dízimo e sim, principalmente, a vida das mesmas.

Exemplo disto temos Judas, que estava “todo” o tempo com Cristo, ouvindo as pregações os ensinamentos, mas não era sincero, roubava a oferta e os dízimos, e, na sua ignorância, pensava que Deus não via o que ele praticava. Assim são essas pessoas que estão na igreja e não praticam a Palavra de Deus, elas roubam a Deus nos dízimos e nas ofertas, não são sinceras e pensam que Deus não está a ver.

Quando Jonadabe deu a mão a Jeú e disse: “É!”. Ali ficou demonstrado que ele tinha o mesmo espírito de Jeú, o apertar a mão é uma ação que mostra sinceridade ou até pode ser feito com falsidade, pois quem vê caras não vê corações.

Te vejo na IURD, ou nas Nuvens!

Por seu servo em Cristo,
Bispo Júlio Freitas
bispojulio.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *