Mensagem

A melhor forma de derrotar o seu RIVAL

bjf19_cdaEle compete consigo todos os dias… e tudo porque deseja ter tudo aquilo que você tem…

A palavra RIVAL, na sua origem, significa adversário, algo ou alguém que se opõe a si e torna a sua existência praticamente impossível. Muitas pessoas mantêm uma rivalidade ao longo da sua vida, coexistindo em constante competição, desentendimento e ciúme.

Ana era uma mulher casada, que amava o seu marido Elcana e vice-versa. Porém, Ana tinha um problema, considerado incapacitante, especialmente para a época em que ela vivia: ela era estéril, não podia dar ao filhos ao marido a quem tanto amava. Como forma de minimizar a situação (e como era habitual naquela altura), Elcana tomou para si outra mulher, Penina. Esta sim, ao contrário de Ana, podia conceber… e, assim, Ana, por ser a mulher a quem Elcana amava, tornou-se a rival de Penina, que a provocava, a irritava, pois sabia que o coração de Elcana pertencia a Ana. (1 Samuel)

Porém, a RIVAL Nº 1 de Ana, na verdade, não era Penina e sim a sua própria esterilidade, a sua doença. Penina só veio a existir na vida de Ana por causa do seu problema de saúde. Ou seja, Ana, na realidade tinha 3 RIVAIS:

  1. A DOENÇA
  2. PENINA
  3. OS FILHOS DE PENINA
  4. Todavia, existia ainda um outro rival, o 4º, que era a ACOMODAÇÃO.

Todos os anos, Elcana ia à Casa de Deus e fazia sacrifícios e orações, por si mesmo e por Ana… mas nada acontecia. Ana aguardava pela Justiça Divina, através dos sacrifícios do seu marido, do amor que ele sentia por ela e pelas suas lágrimas, pois era só o que ela sabia fazer, chorar e ficar amargurada… ela era incapaz de reconhecer que quem estava a ser injusta era ela… mas para com Deus.

Tal como Ana, não são poucas as pessoas que, hoje em dia, mesmo estando na Igreja, na Casa de Deus, só sabem chorar por causa dos seus problemas, estão tristes, amarguradas. Elas têm pena de si mesmas, por isso, tentam comover a Deus, pois sentem-se vítimas das circunstâncias, são “coitadinhas, pobrezinhas e infelizes”… Todavia, esse não é o choro da Fé, pois está a envenená-lo cada vez mais, a fazê-lo viver no sentimentalismo, ao invés de na Fé Viva.

Por isso, não pense que o seu rival é a concorrência, o seu vizinho ou o seu colega de trabalho… O SEU RIVAL É A RAIZ, o que está por detrás daquela pessoa ou problema. O verdadeiro rival de Ana era, de facto, a doença, o espírito que estava por trás da mesma! Depois, sim, vieram os outros rivais.

Deus só poderia fazer justiça quando Ana se revoltasse contra o seu problema, quando deixasse de ser acomodada, ao ficar na dependência do marido, assim como nós, que não devemos ficar na dependência do marido, da esposa, do pai, da mãe, dos filhos, do pastor ou do bispo… pois só devemos depender de Deus e de nós mesmos, da nossa própria Fé!

Ana fez de Elcana, o seu marido, a sua fortaleza, quando a sua força única deveria ser a sua Fé em Deus! E foi só quando ela descobriu isso, que o seu choro, a sua vida, a sua realidade de ser estéril foram transformados e todos os seus rivais caíram por terra!

Não cometa o erro gravíssimo de Ana, que a levou a perder anos da sua vida sem que nada mudasse. Vença os rivais que têm agido na sua vida, criando os problemas, fazendo de Deus a sua única fortaleza!

Bispo Júlio Freitas
juliofreitas.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *