Mensagem

A sua ira não resolve nada… já a Revolta…

iraA “justiça humana”, a “justiça pelas próprias mãos” e a Justiça Divina… infelizmente, o ser humano muitas vezes divide-se entre o que é imediato e o que realmente subsiste, não se compra e se traduz em vitória absoluta

Neste mundo, existem advogados que nem sequer aceitam certas causas, pois não veem as pessoas com condições de pagar os seus honorários. A realidade é que eles, ganhando ou não a causa, obtendo ou não justiça para os seus clientes, têm os seus honorários, e, se ganharem, acabam por receber mais um pouco.

Observe que Deus não é assim, e mais, para além de ser O Nosso Advogado, Ele jamais perdeu ou perderá alguma causa, todavia, Ele exige Fé da nossa parte, sendo a mesma acompanhada com obras no Altar.

E para quem acredita em “fazer justiça pelas próprias mãos”, saiba que não é a sua ira que irá produzir justiça, muito menos a de Deus. Existe uma diferença muito grande entre a ira do homem e a Revolta da Fé!

Por falta de uma aparente resposta, muitos dizem que não vão mais participar em campanhas ou fazer votos, mas isso nada mais é do que a ira do homem, pois a Justiça da Fé conduz a pessoa para o Altar, estimulada por uma Revolta que faz Deus Se manifestar.

“Disse o SENHOR: Ocultarei a Abraão o que estou para fazer, visto que Abraão certamente virá a ser uma grande poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra?”

(Gn 18.17-18)

Deus não oculta a Sua Justiça ao justo, nem a Sua Justiça ao injusto. N’Ele não há injustiça, ou seja, quando o justo ganha sabe porque ganhou, e quando perde, também sabe porque perdeu. Já quando a pessoa é injusta e perde, logo afirma que foi uma injustiça!

“Porque Eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o Caminho do SENHOR e pratiquem a Justiça e o Juízo; para o que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.”

(Gn 18.19)

A Justiça que Abraão praticava serviria para ele, para os seus filhos e para a sua posteridade:

  • Guardar o Caminho do Senhor é andar na Fé;
  • Praticar a Justiça é fazer o que é certo, é a obediência;
  • Praticar o Juízo é não aceitar o que é errado;

“Disse mais o SENHOR: Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito. Descerei e Verei se, de facto, o que têm praticado corresponde a esse clamor que é vindo até Mim; e, se assim não é, Sabê-lo-ei.”

(Gn 18.20- 21)

Deus Desceu por causa do clamor da infidelidade, para ver o que estava a suceder, e mostrar que é Justo, para que ninguém dissesse que Ele apenas ouviu o clamor da injustiça e agiu sobre o mesmo. E por Ser Justo e ter o Seu escolhido diante de Si a interceder por outros tantos justos que viviam no meios dos injustos, Deus fez Justiça, salvando, separando e resgatando o justo da destruição completa.

Deus é contigo e eu também

Bjf

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *