Mensagem

As 7 frases de Cristo na Cruz (IV)

Ao analisarmos esta frase de Jesus na Cruz conseguimos compreender melhor um dos motivos do porquê o Seu sacrifício foi perfeito. Porém, antes, é bom lembrar que Jesus, quando estava na cruz, era o “filho do homem”, com as mesmas fraquezas humanas, inclusive, o facto de ter sentimentos que, por muitas vezes, acabam por ser o nosso maior obstáculo para um Sacrifício Perfeito e porquê?

“Não tendes limites em nós; mas estais limitados em vossos próprios afectos”. (2Co 6.12)
Quando o apóstolo Paulo afirma que não temos limites, significa dizer que pela fé tudo nos é possível. Porém, quando agimos pelos sentimentos, agimos pelo que sentimos mediante a situação em que nos encontramos, ou seja, pelo que vemos e ouvimos. O resultado é o abandono da fé já que esta é, a certeza que coisas que se esperam e a convicção de factos que não se vêem.

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de factos que não se vêem.” (Hb11.1)
Um sacrifício nunca será perfeito se for baseado nos sentimentos. Pois o mesmo requer: esforço, empenho, dor, determinação, renúncia e, principalmente, a certeza do que se quer alcançar, mesmo que tudo diante dos olhos humanos seja desfavorável. O próprio Senhor Jesus estava ciente deste facto, e podemos imaginar que os Seus sentimento estavam a aguçar-se, pois, quando estamos em dor, desejamos sempre ter alguém perto, para nos aliviar da dor.

Jesus, como “homem”, não era diferente e, com uma agravante, porque naquele momento ele sentiu-se desamparado pelo próprio Deus. Para o Senhor Jesus, naquele exacto momento só lhe restava a Fé, porém, o suficiente para que Ele pudesse consumar o Seu sacrifício.
Com as poucas forças físicas que lhe restavam, mas com a toda a Sua fé, Ele desligou-se da única coisa que O poderia impedir de sacrificar – o sentimento. Observe que Ele chama Maria de mulher e não de mãe, deixando claro, neste momento, que não agia pelo sentimento.

O mesmo se passa com todo o ser humano, quando este não age através do sentimento, mas sim da fé, e, assim, o seu sacrifício se torna perfeito aos olhos de Deus. Nada é mais importante do que aquilo que fazemos para Deus, ainda que venhamos a aborrecer a muitos por causa da fé não compreendida por eles.

Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai,
e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a
sua própria vida, não pode ser meu discípulo. (Lc 14.26)

Por seu servo em Cristo,
Bispo Júlio Freitas
bispojulio.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sem comentários

Amélia Ramalhão Responder 21 Abril, 2011 às 18:04

TODAS AS VERDADES NOS EDIFICAM, ME FAZEM CRESCER