Mensagem

Desintoxique-se da incredulidade

20º dia – Desintoxique-se da incredulidade Ainda mais do que quem acredita, a incredulidade faz com que a pessoa crie ou procure sempre argumentos para justificar a sua descrença. A incredulidade nega factos irrefutáveis e, mesmo diante dos mesmos, procura palavras para difamar ou distorcer o que está a ver com os próprios olhos.

“Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.” (Hebreus 3.12)

19º dia – Desintoxique-se da infidelidade

A fidelidade é uma qualidade curiosa, pois ela deve manifestar-se em tudo, seja nas grandes, como nas pequenas coisas e em qualquer ocasião, tanto nas atitudes práticas, como em pensamentos. Por isso, quem não consegue ser fiel ao que vê nem ao que faz, como o trabalho, o marido ou a esposa; no que fala ou promete, também não o será a Deus! A fidelidade, tanto para o que se vê ou a verbalizada, não pode ser sustentada apenas por palavras, ela tem que ser materializada, por isso, quem não é fiel ao que está diante si fisicamente, também não será fiel ao que está diante de si espiritualmente, que é Deus.

“Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a FIDELIDADE.” (Gálatas 5.22)

18º dia – Desintoxique-se da maldade/crueldade

Ao contrário do que muitos pensam, a maldade é uma atitude que não apenas magoa a terceiros, mas também quem a pratica. Ao fazer de tudo para prejudicar os colegas, companheiros, familiares e até desconhecidos, muitas vezes, a pessoa maldosa acaba por levantar falso testemunho, colocando um contra o outro, levando e trazendo informações que não procedem da verdade, estimulando brigas, divisão, agressão e até ódio entre ela e todos os outros.

“Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal…” (Isaías 1.16)

17º dia – Desintoxique-se da vingança

Quando a pessoa está dominada pelo espírito da injustiça, ela tem o desejo de pagar na mesma moeda. Não importa se a injustiça que ela sofreu foi causada por alguém ou se foi fruto de circunstâncias da vida, ela passa a falar e a fazer coisas para ferir a Deus, questionando por que motivo Ele permitiu que aquilo lhe acontecesse! Inclusivamente, ela até acaba por perder o senso de Justiça e, consequentemente, a razão, passando a querer fazer justiça pelas próprias mãos.

“A ira de Deus se revela do céu contra toda a impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça.” (Romanos 1.18)

16º dia – Desintoxique-se da insegurança

A pessoa insegura acaba por viver sempre numa expectativa negativa. Pensa que o que fez ou falou não foi o correto, ficando sempre à espera que algo vá dar errado. Isto acaba por fazer com que ela não se dê o valor devido, muito por causa das inúmeras interrogações, sempre em relação à mesma situação ou assunto. E, quando acontece algo negativo, ela afirma, com toda a convicção: “eu já sabia…”; “já estava à espera…” – sem assumir que aquele desfecho se deveu à sua fé negativa.

15º dia – Desintoxique-se da fraqueza

A fraqueza pode revelar-se em diferentes circunstâncias, mas torna-se evidente especialmente quando a pessoa diz crer em Deus, mas recua diante de uma decisão que tem de tomar. Ela, simplesmente, não tem coragem para sacrificar, diz: “não posso…”; “não consigo…”; “é difícil para mim…”, e, quando faz, faz pela metade, com fraqueza, ora, evangeliza, vai à igreja, dá oferta, jejua, trabalha, estuda, mas nunca conclui nada, porque é fraca, e o pior, todos à sua volta lhe dizem: “o teu deus é fraco!”

“O SENHOR é a minha luz e a minha salvação, de quem terei medo? O SENHOR é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? (…) Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança.” (Salmos 22.1 e 3)

14º dia – Desintoxique-se da acomodação

A acomodação é inspirada por uma espécie de auto-contentamento. A pessoa sente-se merecedora, ou porque fez algo no passado ou também devido a alguns traços de carácter, como não desejar falar mal de ninguém, ser honesta, religiosa, fazer caridade, como se isso compensasse a sua falta de entrega (que é o uso da Fé inteligente – bíblica). Por atitudes que são da sua obrigação como pessoa, ela usa esses argumentos para não sacrificar as suas emoções e desejos, acabando por pensar que a situação que vive é normal e assim vai levando a vida.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” (Efésios 2.8-10)

13º dia – Desintoxique-se da falsidade

Viver uma vida sob o estigma da falsidade é, basicamente, pela frente ser uma coisa e por trás outra. As situações e circunstâncias que a pessoa falsa vive no seu dia a dia levam-na a fingir que se agrada ou que está satisfeita, chegando até ao ponto de afirmar que é aquilo mesmo, concordando com tudo o que foi dito ou feito quando, no fundo no fundo, não é o que ela pensa a respeito.

“Afasta de mim o caminho da falsidade e favorece-me com a tua lei.” (Salmos 119.29)

12º dia – Desintoxique-se da timidez

A pessoa tímida normalmente vive envergonhada e preocupada com o que os outros vão dizer ou pensar a seu respeito. Ela pensa, acredita e verbaliza que o que ela pode vir a ser ou a fazer não importa para ninguém, pois a seu ver ela não reúne condições e capacidades suficientes ou necessárias para ser reconhecida ou valorizada.

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.” (1 Coríntios 1.25)

11º dia – Desintoxique-se da autocomiseração

Uma pessoa que pratica a autocomiseração tem por hábito sentir-se a pior das criaturas, mas, essencialmente, quer que os outros a vejam como “pobrezinha”, “coitadinha”, incapaz, pequena e infeliz. Mas o que a deixa realmente “feliz” é quando encontra alguém que a conforta com palavras negativas, dizendo: “… é assim mesmo…”; “… existem outras pessoas iguais a ti ou até piores…”; etc.

“Diga o fraco: Eu sou forte.” (Joel 3.10)

10º dia – Desintoxique-se da idolatria

Ao contrário do que se propaga, a idolatria não se verifica apenas em relação a imagens de santos ou efígies, na verdade, o amor e a confiança excessiva em algo ou alguém, seja quem for, é uma forma de idolatria. Colocar sempre em primeiro plano na sua vida um objetivo, bem material e até mesmo um familiar é um obstáculo para a pessoa se apegar totalmente a Deus.

“Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.” (Êxodo 20.3-4)

9º dia – Desintoxique-se dos maus olhos

Ter maus olhos é estar sempre pronto para ver as falhas e os erros dos outros e nunca o que é bom ou positivo. Pessoas assim vivem para criticar, pois, normalmente, só conseguem ver os defeitos, estão constantemente preocupadas com o que os outros fazem ou deixam de fazer, julgam, condenam e até vêm problemas onde não existem.

“São os teus olhos a lâmpada do teu corpo; se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas se forem maus, o teu corpo ficará em trevas.” (Lucas 11.34)

8º dia – Desintoxique-se da Malícia

Quem é malicioso visa apenas os seus interesses pessoais, está sempre inclinado para o que é mau e negativo, faz sempre tudo com segundas intenções, desconfia de todos os que estão à sua volta, não vê sinceridade em ninguém e, principalmente, nos que lhe dizem a verdade.

“Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças…” (1 Coríntios 14.20)

7º dia – Desintoxique-se da avareza

Quando se fala em avareza, muitas vezes pensa-se logo no apego ao dinheiro ou apenas a bens materiais, quando este apego pode revelar-se sobre variadas coisas, tanto materiais, como o carro, a casa, ou até a pessoas, familiares ou amigos. A avareza faz a pessoa pensar que aquilo que ela possui é a sua maior riqueza ou razão de viver. Ela torna-se mesquinha, briga, discute, ofende por coisas banais e pequenas, sujeitando-se até mesmo ao ridículo de exigir coisas que não farão a mínima diferença.

“Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a AVAREZA, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus.” (Colossenses 3.5.-6)

6º dia – Desintoxique-se da auto-suficiência

A auto-suficiência leva a pessoa a pensar que já faz tudo ou sabe tudo, não aceitando quando é exortada ou ensinada. O pouco que ela tem, atribui ao esforço do seu braço ou ao conhecimento que detém, pensando que não é necessário mais nada, mas, se for, ela tem condições de resolver ou de fazer por si só!

“A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra.” (Provérbios 29.23)

5º dia – Desintoxique-se da culpa

A culpa é revelada quando uma pessoa: se auto-condena; acredita que não tem valor; que não presta para nada; sente-se impotente; vive presa ao passado e incrimina-se por coisas que fez ou deixou de fazer. No entanto, a pessoa tem que se perdoar, pois Cristo morreu e ressuscitou para tirar toda a culpa, mediante o arrependimento sincero.

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1.9)

4º dia – Desintoxique-se da Religiosidade

Fazer sempre as mesmas coisas, muitas vezes movido por descargo de consciência, de forma sistemática… é o motivo por que a vida de muitos continua sempre na mesma condição: destruída e vazia. Porque se acomodam e muitas vezes pensam e até chegam a falar certas expressões que os seus antepassados usavam: “é a minha cruz…”; “o meu carma…”; “o meu destino…”, etc. São ideias que as religiões incutem nas suas mentes, fazendo-as tornar-se dependentes de doutrinas, costumes e tradições.

“Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia a vãs subtilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo…” (Colossenses 2.8)

3º dia – Desintoxique-se do Medo

O medo impede a pessoa de agir, de avançar, de descobrir o seus talentos e potencial, o medo fá-la agir sempre com desconfiança. É tão destruidor que leva a pessoa a acreditar que irá acontecer exatamente o que ela teme. E só há uma maneira de vencer o medo, que é enfrentando-o e combatendo-o! Se o tem, admita, detete, creia na Palavra de Deus, rejeite-o e desintoxique-se.

“O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me pode fazer o homem?” (Hebreus 13.6)

2º dia – Desintoxique-se da Mágoa

A pessoa que guarda e alimenta este sentimento, que é venenoso, corrosivo e destrutivo, não só fica contaminada, como também intoxicada. Enquanto a mágoa for mantida no coração, a pessoa é considerada uma assassina, pois está a assassinar a pessoa com a qual está magoada e, principalmente, a si mesma. Está comprovado pela ciência que a mágoa dá origem a inúmeras doenças, por isso, se deseja receber o perdão de Deus e o Seu Espírito, antes deve perdoar de todo o coração, pois só desta forma o Espírito Santo encontrará espaço para entrar e permanecer.

“E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas. [Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.]” (Marcos 11.25-26)

1º dia – Desintoxique-se da Dúvida

A indecisão ou acreditar que se tomou a decisão errada são das piores coisas que existem em relação à fé! Assim atua a dúvida, fazendo a pessoa ficar dividida entre dar ouvidos à Voz de Deus ou à do mal. A Voz de Deus é a certeza, a convicção e quem manifesta a dúvida não consegue discernir uma da outra. A pessoa passa apenas a ouvir a voz do engano, fica ‘em cima do muro’, sem saber se se entrega totalmente ou se continua a viver à sua maneira, dividida! Mas não há como servir a dois Senhores.

“… pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.” (Tiago 1.6-8)

Te vejo na IURD ou nas Nuvens!

Bispo Júlio Freitas
bispojulio.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *