Mensagem

Incompleto e frustrado (cont.)

Se alguém me perguntar qual é o nome do meu Deus eu direi: Completo, Realizado e Respeitado. Este é o nome do Deus vivo!

Quando Cristo veio a este mundo, com os sinais que Ele fez de poder e milagres, deixou em evidência que o Seu desejo é de que a vida do ser humano seja completa, tanto na saúde, como na família, vida espiritual e material.

Deus quer que o ser humano supere a frustração e se sinta realizado em todas as áreas da sua vida. E quem não se sente realizado, sente-se frustrado!
Não é da vontade de Deus que você seja desrespeitado e a única forma de o fazer ser respeitado é a qualidade da sua vida ser sumamente superior à dos demais. A pessoa ou é respeitada ou é desrespeitada; ou é completa ou incompleta.

Quando Moisés apareceu para Deus no Monte Sinai, Deus disse-lhe: “Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó” ou seja, Deus não ficou apenas por palavras, mas acrescentou: Não se aproxime, porque é terra santa…”. Deus não nos dá apenas mandamentos, mas revela-nos quem Ele é, e o que Ele quer que façamos para sermos completos. Deus referiu – “Eu sou o Deus de teu pai”, isto significa, que Ele é o Deus de Abraão.

Deus não é Deus de incompletos, frustrados e desrespeitados, Deus é Deus de Abraão. E quem foi Abraão? Abraão foi um homem incompleto até aos 100 anos, porque para ele não importava a riqueza, mas que o seu sonho em ter um filho fosse realizado. Deus gosta que nós falemos com Ele, porque, quando falamos com Ele, o nosso espírito sobe, a nossa fé é fortalecida e a nossa comunhão com Deus é estabilizada.

Deus deixa claro, na Sua Palavra, que Abraão quando disse: “- O meu herdeiro vai ser um empregado porque eu não tenho filhos”, estava a questioná-Lo como haveria de saber se era verdade, e Deus respondeu-lhe para fazer o sacrifício. Passado um ano, ele foi pai.

Caso queira ver o seu sonho realizado, depende somente de si sacrificar. Deus só vai fazer a parte d’Ele, quando você fizer a sua. A nossa parte é materializar a nossa fé através do sacrifício voluntário e espontâneo. Deus não o obrigou a fazer aquele sacrifício, mas ele fê-lo de forma espontânea e voluntária, porque sabia o que queria: o filho dos seus sonhos. Deus fê-lo pai e, depois que teve o filho, prometeu-lhe que seria pai de muitas nações e pediu o que ele tinha de melhor, que era o seu único filho e ele não o negou. Deus o fez pai de uma grande nação, pela qual, veio o Cristo Salvador. Nós também somos filhos de Abraão. Caso afirme ser filho de Abraão, então dirá: Eu sou completo.

Abraão tinha 100 anos e era um velho incompleto, mas sacrificou e saiu do estado de incompleto para completo. Nós é que decidimos se seremos um cidadão completo ou incompleto. O que completa a nossa vida é o sacrifício a Deus, que nos faz alcançar aquilo que não conseguimos com os nossos esforços, capacidades e recursos naturais.

Deus também referiu que é o Deus de Isaque. E quem foi Isaque? Isaque foi um frustrado, pois mesmo sendo filho de Abraão acomodou-se. O tempo foi passando e os problemas iam-se acumulando, ele não era bem-sucedido. Até os poços que o pai tinha cavado e do qual ele dependia para dar de comer aos animais, gado e aos servos, os inimigos enterravam.

Ele, na realidade, era um frustrado, ao extremo de se sentir rejeitado e dizer: “- Vou-me embora!”. E Deus disse-lhe: “- Você pode ir, mas eu não vou consigo!”, pois Deus não é covarde.

Quando estamos a passar por um problema, Deus espera que quem crê e anda com Ele o enfrente. Ele não espera que nós fujamos, nos rendamos e nos prostremos diante do problema porque, desta forma, Ele não poderá ser connosco.

Quando Isaque decidiu ficar e sacrificar para Deus, fez o que o seu pai tinha feito. Antes de sacrificar, Isaque usufruía dos bens que o seu pai tinha conquistado através do sacrifício, por isso, não era realizado, mas, sim, frustrado. Esta é a razão porque os inimigos não lhe davam crédito, mas quando ele sacrificou para Deus, as coisas inverteram-se.

Ele prosperou e cada semente que plantava naquele mesmo ano colhia 100 vezes mais. Não existe nenhuma semente que dê 100 vezes mais, a melhor semente do mundo, o máximo que dá é 30 vezes mais. Mas a semente dele não! Ele plantava e a semente dava frutos a 100 por um.

Podemos questionar uma situação: Se ele, anteriormente, também semeava porque é que não colhia desta forma? Porque não havia sacrifício. Se não há sacrifício, não há a bênção; se não há a bênção, não há progressão, crescimento e desenvolvimento e o resultado é a frustração. Comparando com os dias actuais, o que acontece é que a pessoa está na igreja, é crente e filho de Abraão, mas só tem perdido.

Muitas pessoas, que estão já há algum tempo na igreja, no início até sacrificavam e conquistavam e hoje usufruem do que conquistaram há anos atrás, mas, se param de conquistar, começam a perder e permanecem na igreja, mas frustradas. Essa situação não é admissível, a pessoa tem que se sentir realizada! Para que haja a realização, só existe um caminho: o sacrifício pessoal e voluntário que tem que ser praticado!

Deus ainda é conhecido como o “Deus de Jacó”. E quem foi Jacó? Jacó foi o “desrespeitado”. O nome Jacó significava “enganador”. E, na verdade, a sua história conta que ele foi enganado pelo irmão, tornou-se dizimista e o sogro mudou o salário seu 10 vezes. Ele foi enganado sentimentalmente, porque o sogro não lhe entregou a mulher que ele amava, mas, sim, a cunhada. Mas, mesmo assim, ele acreditava em Deus e estava convicto de que tudo iria mudar, até que resolveu fazer o seu sacrifício.

Jacó constatou que trabalhava há mais de 20 anos e não tinha nem um rebanho ou uma tenda para os seus filhos. Ele não aceitou mais ser empregado e optou pelo sacrifício. O seu salário foi mudado 10 vezes porque, agora, tudo o que ele fazia tinha a bênção de Deus. Ele usava o seu cajado porque sabia para quem estava a sacrificar. A décima vez em que o salário foi mudado ele estava riquíssimo e foi-se embora acusado de ladrão pelo tio e os seus primos. No meio daquela situação, ele pediu para verem tudo o que tinha e, caso encontrassem alguma coisa que não lhe pertencesse, iria trabalhar para eles o resto da vida sem receber nada. Ele estava revoltado! Ele partiu para o desafio! E esse é o nosso Deus, Ele quer dar testemunho de si e não quer que você seja um desrespeitado, Ele quer que você seja uma pessoa respeitada.

As pessoas têm que o respeitar, gostem elas ou não ou aceitem ou não a sua fé. A sua vida tem que ser sumamente melhor para que você seja respeitado. Deus deu o testemunho a Moisés: “- Eu sou o Deus Completo Realizado e Respeitado e quem sacrifica para mim não é incompleto. Eu sou o Deus de Abraão, que fez de um velho incompleto, um idoso completo. Eu sou o Deus de Isaque, que não era realizado, mas eu tornei-o realizado. Jacó era um desrespeitado, mas eu fiz com que fosse respeitado pelo seu irmão e inimigos.”

Por isso, Deus quer fazer a sua vida Completa, Realizada e Respeitada, para que todos vejam quem Ele é: “Eu sou o que sou! Eu sou o Senhor!”

O NOME DE DEUS ENTÃO É: COMPLETO, REALIZADO E RESPEITADO!

Por seu servo em Cristo,
Bispo Júlio Freitas
bispojulio.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *