Mensagem

Qual é a sua desculpa?

falsoVão à igreja, Batizaram-se nas Águas e até dão o Dízimo… mas tudo não passa de uma enorme e enganosa fachada… eles estão em todo o lado… já alguma vez ouviu falar deles?

Será que é porque fica bem? Ou porque convém acreditar em algo? Talvez seja porque a sua família o é e convém que também você o seja? A resposta? Só a própria pessoa poderá dar, mas, a realidade é que, atualmente, existem muitas pessoas que são “cristãs de fachada”.

Mas, vamos por partes, o que significa, na realidade, esta expressão?

Por exemplo, existem muitas pessoas que apenas, aparentemente, são cristãs, porque vão à Igreja, dão o Dízimo, Batizaram-se nas Águas… mas, tudo isso é só “de fachada”. Elas revelam todos os sinais de que são convertidas, mas, uma análise mais profunda, do seu caráter, personalidade, comportamento e da sua vida em geral, revela que, na verdade, não o são de verdade.

Na Igreja, elas praticam algumas coisas, mas, quando estão fora, o seu comportamento é completamente diferente. A muitas pessoas, este tipo de afirmação pode “ofender”, mas, só ofende a quem não é sincero, porque, quem o é reconhece que isso é verdade, que tem sido “cristão de fachada”. Então, o que fazer? Decida não mais o ser, humilhando-se não para o homem, mas para Deus (porque só você pode identificar se é este tipo de “cristão”), converta-se e nasça de novo.

Porém, existem aqueles que querem continuar a insistir no erro, querem levar a vida do seu jeito, querem crer em Deus à sua maneira e, por isso, disse Jesus, “são fontes secas”, quer dizer, não têm o Espírito Santo. Têm testemunho de milagres, de cura, de bênçãos, mas não têm testemunho de caráter, de Fé, de devoção… o que é muito triste.

Para uma pessoa nova na Fé é compreensível que tal aconteça, pois a conversão ainda não aconteceu na sua vida, mas, para uma pessoa que conhece a Palavra de Deus há anos, qual é a desculpa ou a explicação? Nenhuma! Essa pessoa tem uma “fé de fachada”, ela tem segundas intenções. E as suas segundas intenções dizem respeito apenas aos seus próprios interesses, porque, quando a sua intenção é Jesus, a pessoa entrega-se, Ele revela-se e ela torna-se uma fonte a jorrar para a Vida Eterna.

Então, o “cristão de fachada” tem que entender que a solução do problema não é tudo, mais importante que a solução dos seus problemas é a Salvação… e Deus faz os dois: Ele cura, liberta, prospera, mas, sobretudo, Salva. É por isso que em todas as Reuniões no CdA existe um momento em que a pessoa é convidada a entregar-se, porque não sabemos em que dia ou a que horas vamos morrer.

O “cristão de fachada” crê em Jesus, hoje… mas não de todo o coração. Entrega a vida a Jesus… mas apenas uma parte, não a totalidade. Mas… como a Salvação só se faz por inteiro, ou é ou não é, permanecer como “cristão de fachada” não é uma opção permanente, apenas uma fase de transição para uma de duas saídas: a PERDIÇÃO ou a SALVAÇÃO ETERNA!

Bispo Júlio Freitas
juliofreitas.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

aurora lurdes almeida Responder 22 Junho, 2015 às 20:55

VISPO ai´nda naõ pegueí no sacrificío porque naõ sentí que
devia pegar mas começou agora beij