Mensagem

Sintomas visíveis… e invisíveis

quemamaoq-faz“Quem ama o que faz, vive o que faz e cada dia faz mais.”

Tudo na vida necessita de uma espécie de combustível para funcionar… o automóvel de gasolina, o telemóvel de uma bateria, o nosso corpo de alimento e o nosso ânimo para trabalhar de incentivo, que provém da força dos nossos sonhos e gosto pelo que fazemos.

E os sintomas de quem não gosta ou está saturado do que faz são bem visíveis. Desanimado, cabisbaixo, perdido, desiludido, sem rumo… todos os dias parecem iguais e nada mais estimula a criatividade ou aumento da produtividade.

“Mas será que isso é tão importante assim?”. Sim, na verdade, é essencial, porque se não gostamos, ou melhor, amamos aquilo que fazemos, vamos sofrer consequências na nossa vivência diária: perdemos o gosto pela vida, esmorecemos, sentimo-nos totalmente sem valor e, em último caso, acabamos por desistir.

E observe que isto não acontece apenas na vida profissional, pois uma pessoa que não gosta do que faz, sente-se infeliz, em todas as áreas da sua vida, sendo incapaz de se relacionar com os outros de forma plena, pois, estará constantemente a pensar na sua frustração tão presente.

Por isso, caro amigo, invista em algo que verdadeiramente goste, pois só assim conseguirá evoluir em todos os aspetos: como ser humano, profissional e nas suas relações interpessoais!

Bispo Júlio Freitas

juliofreitas.com

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *