14º Dia – Ouvinte e Praticante

Olá a todos os internautas. É um prazer acompanhar os vossos comentários no blog a cada áudio. Tenho lido todos e é gratificante quando expõem a vossa situação, algo que é verídico e proveitoso.

ouvinte_cdaEntendo que queiram acrescentar, pois, quando ouço os meus áudios, eu também quero acrescentar, porque nem sempre exponho as palavras exatas.

O tema que vos quero falar: “Ouvinte e Praticante”

E para falar deste tema, não poderia deixar de salientar que nos comentários feitos por muitas pessoas, observo que é notória a existência duma aflição, porque, por vezes, não têm o resultado que tanto esperam.

Algo a que é importante estar atenta, é quando se lê a Palavra de Deus. Quando for ler, leia devagar. Não leia, simplesmente, como se tratasse de um texto, mas leia cada palavra como sendo importante para si. Este aspeto é muito importante para que à medida que ler, possa refletir e entender o que lê.

Mesmo que ainda diga: “Viviane, mas eu tenho dificuldade em entender a Palavra de Deus.” Não se preocupe! O que ainda não compreendeu, é porque ainda não chegou a hora de entender, ou talvez porque também não buscou. Mas cabe a si interessar-se e tentar saber o que lê.

Hoje é o 14º Dia e vamos ler o livro de Romanos, capítulo 2 e versículo 13:

“Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus …”

Vou parar por aqui, para que possam entender… Veja que nós podemos estar nesta condição de “ouvidores da lei”, mas isso não quer dizer que eu seja justa diante de Deus. O que me vai tornar justa perante Ele é o que conclui o versículo:

“…, mas os que praticam a lei, hão de ser justificados.”

Romanos 2.13

Por isso é que já ouviu dizer: “a fé justifica” ou “sereis justificados”. Quando observa isso na Bíblia, é porque foi compreendido e não foi condenado. Além disso, quando pratica a palavra de Deus, deixa de ser apenas um ouvinte para ser um praticante.

Mas qual é a diferença?

Talvez pergunte: “Mas como ser um praticante da Palavra de Deus? Como posso ser justificado ao praticar a Palavra de Deus?” É importante verificar como é o seu comportamento e pensamentos. Não se procura perfeição, mas que se aperfeiçoe. Identifique o seu erro e vá direto ao ponto, mesmo que doa, porque dói quando se encontra e nem sempre é bem vinda a verdade, mas a mesma liberta. Ao reconhecer o seu erro, não é para se culpar. O Senhor Jesus não veio para condenar, Ele veio sim para salvar.

Quando chega junto de Jesus e consegue observar os seus erros é para entender e saber identificar os mesmos; para que possa lutar contra eles e mudá-los.

Além disso e na sua própria oração, mesmo que ainda não esteja a conseguir uma mudança, não é para ficar triste, culpar-se ou sentir-se inferior em relação às demais pessoas. Não!!

Em primeiro lugar, tem de arrancar essa fé emotiva, que é evidente através desse tipo de acusações, sentimentos de inferioridade e comparações. Você é você, acabou! Não é a mesma pessoa que eu, então não se compare comigo, porque o que lhe é transmitido aqui é para que entenda como reagir. Por isso falo de mim! Não para se sentir inferior, acusada ou condenada.

Estamos aqui no blog, diariamente, nestes 21 dias, justamente para resolver o problema e para que quando procurar o Espírito Santo, O venha a encontrar.

E caso esteja a viver uma vida promíscua, errada e não consegue parar, então, é sua necessidade passar pelo processo de libertação, que é realizado todas as sextas feiras na Igreja Universal, onde se faz a oração contra o mal.

Porém, você também tem de orar, colocando o diabo no lugar dele, dizendo-lhe: “Eu é que não te quero dentro de mim, e o que encontrar de errado no meu interior, eu vou expulsar!” Assim estará a agir uma fé inteligente e não uma fé emotiva.

“Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei, hão de ser justificados.”

A lei é o que Deus lhe ensina, logo deve cortar a emoção imediatamente que avalia e pensa. É assim que vai ser justificada e tomar atitudes que lhe permitirão usar uma “espada” para eliminar o mal.

Continuando…

“Quando, pois os gentios, que não têm lei (ou seja, as pessoas que não têm compromisso com Deus, que não vão à Igreja), procedem por natureza de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos, estes, mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência dos seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se, no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar o segredo dos homens de conformidade com o meu evangelho.”

Romanos 2.14-16

O seu procedimento, a sua fé ou a sua maneira de agir, têm testemunhado a sua consciência e os seus pensamentos.

Por exemplo, quando penso e nutro um mau pensamento ou maus olhos por alguém, o meu procedimento vai ser ignorá-la ou talvez vingá-la. Mas o pecado é uma indisciplina, não tem ordem, organização, respeito nem amor… é algo “à la vonté!”

Mas quando pratica a palavra de Deus (a disciplina), você escolhe ter no seu pensamento um objetivo.

Todas as vezes que eu lutei por um sentimento, eu passei a olhá-lo de novo, revia a situação e procurava entender o porquê de ter maus olhos para com a outra pessoa. Assim, procurava não só olhar a minha perspetiva, mas também olhar o lado da outra pessoa. Quando faço este processo para mim mesma, pratico o que é justo (disciplina). Porque quem disse que estou sempre correta? Quantas vezes enganei-me e iludi-me como se estivesse certa e, afinal, estava errada.

O que me vai justificar é a minha fé. A forma como me disciplino a mim mesma, como eu respeito a palavra de Deus, como honro a Deus … não é apenas para ganhar benefícios como filha de Deus … mas é poder serví-Lo.

Quando existe isso dentro de mim, algo que não foi imposto, mas que vem do meu íntimo, logo eu mesma me corrijo e me auto-disciplino, concernente ao que tenho de trazer à existência.

Assim sendo, se tenho maus olhos, se murmuro, seja o que for, eu mesma tenho de cortar imediatamente, não pode fazer parte do meu caráter.

Talvez tenha sido rejeitada, logo a sua maneira de reagir é uma forma de defesa.

Mas assim que identifica esse tipo de procedimento, você começa a tomar atitudes contrárias ao que sente e corrige-se, pois quem está de fora não tem a capacidade de entender o que passou e o que viveu.

Então, caros amigas(os) internautas, não deixe o diabo “fazer a festa” por estar a sentir… Você pensa que eu não sinto?! Eu também já senti e lembrei: “não vou sentir. Meu Deus, eu quero ajuda! Por isso, Senhor, orienta-me como devo proceder!” E fui para a frente, não fiquei estagnada, pois logo quando eu falei com uma pessoa, imediatamente aprendi enquanto falava, porque eu vi Deus a agir.

Você descobrirá mais, pois haverá uma novidade no blog sobre o meu diário, que será a meu respeito, e olhando para mim vai aprender a identificar aspetos que a vão ajudar.

Corte o mal… A fé inteligente baseia-se em resolver os problemas, não fica a acusá-la.

Um grande abraço! Deixe aqui o seu comentário.

Viviane Freitas

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 comentário

JANICE FERNANDES Responder 11 Fevereiro, 2015 às 12:09

Bom dia dona viviane ,tenho lido suas mensagens todos os dias ,e a cada dia me surpreendo mais com a sua simplicidade e sinceridade em escrever para nós, para mim é um alimento, ,diário . voce nos faz sentir especial para Deus ,e que as nossas lutas nao sao diferentes das suas , as vezes pensava que por voce ser filha e esposa de quem voce é sua vida era um mar de rosas ,mas tenho aconpanhado seu blog e vejo que a senhora também passa por lutas, como todas nós acredito hoje que as suas lutas sao até maiores que as nossas ,mas que temos que sempre olhar para frente confiando sempre no nosso senhor Jesus e buscando melhorar todos os dias ,continuarei acompanhando a senhora mesmo depois do jejun de daniel. sou do rio grande do sul /brasil um grande abraço da sua nova discipula DEUS ABENÇOE A SENHORA CADA DIA MAIS E A SUA FAMILIA.